sicnot

Perfil

Economia

Primeiro-ministro italiano diz que estão reunidas condições para acordo sobre a Grécia

O primeiro-ministro italiano disse hoje estarem reunidas todas as condições para que a Grécia e os seus credores internacionais alcancem um acordo benéfico para ambas as partes, pondo fim à crise da dívida grega.

© Yannis Behrakis / Reuters

"Seria um erro não aproveitar esta janela de oportunidade", afirmou Matteo Renzi numa conferência de imprensa conjunta com o presidente francês, François Hollande, em Milão, acrescentando que a cimeira de emergência dos líderes da zona euro, marcada para segunda-feira no Luxemburgo, deverá ter uma "conclusão positiva".

A declaração de Renzi surgiu algumas horas depois de o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, ter apresentado propostas para "uma solução definitiva, e não provisória" da crise grega.

"Dar-lhe-emos conta da nossa disponibilidade para ajudar a encontrar o caminho para o acordo", acrescentou Matteo Renzi.

Entretanto, a líder do maior banco grego mostrou-se otimista, referindo que seria "de loucos" se não houvesse um acordo com os credores.

"Penso que irá prevalecer a sanidade e será feito um acordo, porque não consigo encontrar razão para os nossos parceiros e os credores não chegarem a acordo", afirmou Louka Katseli, presidente do Banco Nacional da Grécia, em declarações à rádio BBC.

Na segunda-feira, os ministros das Finanças da zona euro reúnem-se com o objetivo de discutir a situação da Grécia.

Esta cimeira foi marcada na quinta-feira pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, após a reunião do Eurogrupo que se realizou no Luxemburgo ter terminado sem qualquer acordo nem avanços nas negociações entre a Grécia e os seus parceiros e credores, quando faltam menos de duas semanas para terminar o atual programa de assistência, a 30 de junho.

O último dia deste mês é também a data limite para Atenas pagar ao Fundo Monetário Internacional (FMI) 1,6 mil milhões de euros.






Lusa
  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.