sicnot

Perfil

Economia

Cimeira Ibérica começa com Grécia ''à espreita''

As relações económicas Portugal-Espanha, o atual contexto da união monetária na Europa e a cooperação bilateral na área da Defesa serão os principais temas da 28.ª Cimeira Luso-espanhola, que decorre hoje em Baiona (Espanha).

© Sergio Perez / Reuters

A situação da Grécia, que ainda não chegou a um acordo com os seus credores, tem vindo a marcar o contexto da União Europeia e da zona euro. A reunião luso-espanhola acaba por se realizar no mesmo dia de uma cimeira de chefes de Estado e de Governo da zona euro, convocada de urgência na quinta-feira pelo presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, precisamente para discutir a situação grega ao mais alto nível. 

O problema grego - numa altura em que uma saída da união monetária é uma possibilidade -- será assim um tema de conversa entre o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, e o presidente do Governo espanhol, Mariano Rajoy.

"[A análise sobre a Grécia] não ficará de fora. Não podemos pensar que um tema desta natureza, quando estão reunidos dois líderes de dois Estados-membros, não será abordado. Agora, não será abordado com um sentimento de qualquer perturbação, mas sim de análise do caminho a seguir", explicou uma fonte diplomática portuguesa.

A cimeira de hoje inicia-se às 10:45 (hora espanhola) com a reunião do Conselho Luso-Espanhol de Segurança e Defesa. 

Paralelamente, e com início para as 10:50, decorrem as reuniões setoriais, enquanto os dois chefes de Governo se reúnem a partir das 11:00. Haverá depois (12:15) uma plenária em que se fará um breve resumo de tudo o que foram as reuniões setoriais e às 13:00 assinam-se os acordos. 

Portugal e Espanha vão assinar pelo menos quatro acordos na cimeira luso-espanhola, entre os quais um novo acordo de cooperação bilateral em matéria de Defesa (que substitui o acordo vigente desde 1998), um acordo administrativo sobre trasladação de cadáveres, "um convénio para a reabilitação da ponte sobre o rio Guadiana" e "um memorando de cooperação e assistência técnica em matéria de política social, de emprego e segurança social, que cobre várias áreas".

Os responsáveis do setor do Turismo, por seu lado, vão formalizar "um plano de ação conjunta para 2015 que visa o desenvolvimento de um projeto de rota turística das fortificações na fronteira hispano-portuguesa".

Os dois chefes de Governo comparecem perante os meios de comunicação social, para conferência de imprensa, às 13:30.

Nas conclusões da cimeira será divulgada uma declaração conjunta, que inclui uma referência ao 30.º aniversário da adesão de Portugal e Espanha à Comunidade Europeia, que se assinala este ano, bem como ao "papel chave das reformas estruturais" no "crescimento económico e na criação de emprego" em ambos os países. 

Lusa
  • Hospitais vão ser penalizados se não cumprirem tempos de espera
    2:37

    País

    O Ministério da Saúde vai penalizar os hospitais que não cumprem os tempos de espera nas urgências e que tenham taxas elevadas de cesarianas. O novo modelo de financiamento prevê ainda linhas de financiamento próprio para a obesidade e rastreios do cancro do cólon e do colo do útero.

  • Assédio, até onde vai a tolerância?
    35:26