sicnot

Perfil

Economia

Concessão do Oceanário de Lisboa adjudicada por 24 milhões de euros

A concessão do Oceanário de Lisboa foi adjudicada à Sociedade Francisco Manuel dos Santos por 24 milhões de euros, ficando o vencedor obrigado a pagar também uma renda anual, disse hoje à Lusa fonte ligada ao concurso.

A sociedade Oceanário de Lisboa deverá promover o conhecimento dos oceanos e sensibilizar para o dever de conservação do património natural, assim como manter e reforçar o "estatuto e ativo reputacional do equipamento como um dos melhores aquários públicos do mundo". (Arquivo)

A sociedade Oceanário de Lisboa deverá promover o conhecimento dos oceanos e sensibilizar para o dever de conservação do património natural, assim como manter e reforçar o "estatuto e ativo reputacional do equipamento como um dos melhores aquários públicos do mundo". (Arquivo)

© Nacho Doce / Reuters

Na prática, acrescentou, o valor significa a alienação da totalidade das ações do capital social da Oceanário de Lisboa, S.A., que gere o equipamento. Em causa está uma concessão por 30 anos.

   Segundo outra fonte ligada ao processo, o período de contestação ao relatório preliminar, que aponta a sociedade como vencedora, terminou hoje, não tendo havido qualquer contestação. O relatório final seguirá agora para aprovação em Conselho de Ministros.

O equipamento, no Parque das Nações, é um dos ativos que o Governo escolheu alienar ou concessionar para ajudar a reduzir a dívida da Parque Expo, sociedade criada a propósito da Expo'98 e atualmente em liquidação, depois de o executivo ter anunciado em 2011 a sua extinção.

A proposta de Orçamento do Estado para 2015 previa receitas de 40 milhões de euros com a concessão do Oceanário, que em 2014 gerou lucros de 1,49 milhões e recebeu quase 987 mil visitantes (+7%).

Além da Sociedade Francisco Manuel dos Santos (maior acionista do grupo Jerónimo Martins), concorreram o grupo espanhol Aspro Parks (proprietário do parque de diversões aquáticas Aqualand, em Alcantarilha, no Algarve, entre outros parques europeus), a empresa portuguesa Mundo Aquático (gestora do parque algarvio Zoomarine), o grupo francês Compagnie des Alps (administrador de mais de uma dezena de parques de lazer, museus e áreas de esqui) e a espanhola Parques Reunidos, que gere 56 parques na Europa, nos Estados Unidos e na Argentina.





Lusa
  • Assalto à base militar de Tancos
    0:42

    País

    Várias granadas e munições foram roubadas dos paióis da base militar de Tancos. A Polícia Judiciária Militar já está a investigar.

  • Detido antigo diretor regional do BES na Madeira

    Queda do BES

    Foi detido o antigo diretor do Banco Espírito Santo da Madeira, no âmbito do chamado processo ao Universo GES. João Alexandre Silva tinha sido também o representante do BES na Venezuela, onde a instituição portuguesa abriu várias agências em diversas cidades e tinha cerca de 7600 clientes domiciliados.

    Notícia SIC

  • Couves, arroz integral e bróculos biológicos com pesticidas sintéticos
    2:29
  • ASAE apreende leite com água oxigenada para fabrico de queijo

    Economia

    A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu leite com água oxigenada, destinado ao fabrico de queijo. As investigações decorreram nos últimos dois meses e foram dirigidas a vários produtores de leite. As investigações iniciaram-se com a deteção de uma viatura para transporte do leite sem qualquer sistema de refrigeração.

  • Crise na Venezuela faz aumentar casos de desnutrição infantil
    2:13
  • Mulher mata namorado em brincadeira com arma no Youtube

    Mundo

    Uma mulher do Minnesota, nos EUA, está a ser acusada de disparar mortalmente sobre o namorado quando ambos faziam um vídeo para publicar no Youtube. Monaliza Perez, de 20 anos, foi detida depois de disparar sobre Pedro Ruiz, que segurava um livro junto ao seu peito, confiante que seria o suficiente para parar a bala.

  • Comissão Europeia adota plano contra resistência a antibióticos

    Mundo

    A Comissão Europeia adotou, hoje, um plano para combater a resistência aos antibióticos, uma ameaça que mata anualmente 25 mil pessoas na União Europeia (UE) e custa 1,5 mil milhões de euros. Em paralelo ao plano, apresenta ainda regras para um "uso prudente de antibióticos".