sicnot

Perfil

Economia

Morgan Stanley passa a ter 1,94% da Pharol

A Pharol, antiga PT SGPS, anunciou hoje que a Morgan Stanley passou a ter uma participação direta inferior a 2% do capital da empresa, ou seja, de 1,94%.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Mike Segar / Reuters

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Pharol adianta que "esta alteração ocorreu no dia 16 de junho de 2015 e resultou da diminuição da posição Morgan Stanley & Co. International plc em ações tomadas de empréstimo em 10.628.000 ações ordinárias" da empresa.

"Na sequência desta transação, a Morgan Stanley passou a deter uma participação social correspondente a 17.313.493 ações ordinárias representativas de 1,94% do capital social da Pharol e respetivos direitos de voto e a um instrumento financeiro a 0,42% do capital social da Pharol", acrescentou a empresa, que é acionista da operadora brasileira Oi.
Lusa
  • Passos elogia escolha de Paulo Macedo mas diz que não é suficiente
    1:47

    Caso CGD

    Pedro Passos Coelho diz que Paulo Macedo é competente para liderar os destinos da Caixa Geral de Depósitos, mas que a nomeação do antigo ministro não é suficiente para passar uma esponja sobre o assunto. Em Viseu, o líder do PSD não quis ainda avançar com um nome para a Câmara de Lisboa, depois de Santana Lopes afastar a hipótese de se candidatar.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02
  • O novo coala do zoo de Lisboa
    3:10

    País

    A SIC acompanhou em exclusivo a transferência de uma coala da Alemanha para o Zoo de Lisboa. O animal veio de avião e foi batizado pelos passageiros que seguiam a bordo. Ficou com o nome de Goolara. O coala é uma fêmea, com quase dois anos, e veio para aumentar a família da mesma espécie em Portugal.

  • Jovens do exército russo aderem ao Desafio do Manequim
    1:01

    Mundo

    Na Rússia, o grupo de jovens do exército também já aderiu ao famoso Mannequin Challenge. O vídeo foi divulgado pelo Ministério da Defesa russo. O objetivo é mostrar o dia-a-dia do chamado exército de jovens, cuja principal missão passa por sensibilizar os russos para a necessidade de cumprir o serviço militar obrigatório.