sicnot

Perfil

Economia

Neeleman convicto de que qualquer Governo aprovará projeto para a TAP

Neeleman convicto de que qualquer Governo aprovará projeto para a TAP

O consórcio que comprou a TAP reconhece que a venda pode vir a ser revertida, caso o PS chegue ao Governo. Ainda assim, o empresário David Neeleman acredita que, qualquer que seja o executivo que resultar das eleições, irá sempre apoiar o projecto da Gateway para a companhia.

Mesmo que venha um novo Governo, tenho a certeza de que vai aprovar o nosso projeto", disse o empresário português Humberto Pedrosa, do grupo Barraqueiro, em conferência de imprensa, depois de ter sido hoje assinado o contrato de venda de 61% do capital social da TAP ao consórcio Gateway, que integra também o empresário norte-americano e brasileiro David Neeleman.

O consórcio foi questionado sobre a eventualidade de uma reversão do negócio, depois de o Partido Socialista ter insistido este mês no facto de o contrato de venda não incluir uma cláusula de anti-reversão contratual, chegando a avisar que desencadearia todos os mecanismos para requerer a ilegalidade do contrato entre o Estado e o agrupamento Gateway, caso o mesmo incluísse essa possibilidade.

"Se amanhã houver um novo Governo, seja que governo for, e se a TAP já estiver numa situação melhor do que a que está hoje, com certeza que o Governo acha que foi boa opção e que deve continuar nas mãos de privados", reforçou Humberto Pedrosa.

O empresário sublinhou que o consórcio vai apostar na qualidade, segurança e sucesso da transportadora e fazer da TAP "uma grande companhia europeia".

David Neeleman reconheceu que "é claro, que o negócio pode ser travado", mas sublinhou que o plano para a transportadora "é muito bom" e vai acabar por colher apoio junto dos diferentes quadrantes.

"As eleições têm dois partidos, pensei muito sobre isso, os políticos vêm e saem, vêm e saem, mas há um povo português que vai ficar, a TAP vai ficar, claro que vamos trabalhar com todos os governos, tenho a certeza quando o nosso plano estiver implementado" e as pessoas tiverem informação "todo o mundo vai achar que esse é o melhor caminho para a TAP", afirmou.

Além disso, frisou que "não se pode continuar uma empresa sem investimento", contando que "não foi fácil conseguir esse dinheiro".

"Sem dinheiro a TAP não vai para a frente. O nosso plano é muito bom e os sindicatos vão gostar bastante", disse.

O empresário Humberto Pedrosa frisou que, "apesar de a responsabilidade ser muito grande", apostou na TAP porque encontrou um sócio que conhece "muito bem" a atividade.

O plano estratégico para a TAP passa mais pelo crescimento da receita, do que pelo corte nos custos, acrescentou Neeleman.

Com Lusa
  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19