sicnot

Perfil

Economia

Tsipras diz que credores não aceitaram as propostas gregas

O primeiro-ministro grego afirmou hoje que os credores não aceitaram as "medidas compensatórias" propostas pela Grécia, segundo fontes governamentais citadas pelas agências internacionais. Mais um revés nas negociações, quando ontem o acordo parecia estar à vista.

© Alkis Konstantinidis / Reuter

De acordo com a France Press, Alexis Tsipras criticou o FMI, em conversa com os seus colaboradores, por não aceitar algumas das propostas gregas para desbloquear a última tranche do programa de assistência financeira a Atenas.

Tsipras queixou-se "da insistência de certas instituições que não aceitam medidas compensatórias", disse uma fonte. E acrescentou que "esta posição estranha esconde duas possibilidades: ou eles não querem concordar ou servem interesses específicos na Grécia".

As declarações foram proferidas antes de partir para Bruxelas, onde o chefe do Governo grego se reúne hoje com o presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, a diretora do Fundo Monetário Internacional, Christine Lagarde, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

Também esta quarta-feira os ministros das Finanças da zona euro voltam a reunir-se em Bruxelas, para tentar alcançar um acordo que afaste o cenário de uma saída da Grécia da zona euro.

A cimeira extraordinária que reuniu chefes de Estado e de Governo da zona euro, em Bruxelas, terminou na segunda-feira sem acordo, mas ficou marcada por algum otimismo quanto a um possível acordo até ao final da semana.

O atual programa de assistência à Grécia expira a 30 de junho, no mesmo dia em que Atenas tem também que pagar 1,6 mil milhões de euros ao FMI. 


  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15