sicnot

Perfil

Economia

Taxistas manifestam-se em França contra "concorrência selvagem"

galeria de fotos

Centenas de táxis convergiram hoje para os aeroportos e principais vias de circulação de Paris e das principais cidades francesas para denunciar a "concorrência selvagem" da aplicação móvel UberPOP, de transporte privado, criando fortes perturbações no trânsito.

© Charles Platiau / Reuters

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

© Charles Platiau / Reuters

© Charles Platiau / Reuters

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

© Charles Platiau / Reuters

© Charles Platiau / Reuters

© Charles Platiau / Reuters

© Charles Platiau / Reuters

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

© Charles Platiau / Reuters

Num clima tenso, segundo a agência de notícias francesa AFP, centenas de táxis concentraram-se, logo às primeiras horas da manhã, em torno do aeroporto Roissy-Charles-De-Gaulle, a norte de Paris, bloqueando os acessos a três terminais.

Na capital francesa, os acessos à Gare du Nord (estação de comboios) estavam também bloqueados pela ação dos motoristas de táxi, relatou a AFP.

"O objetivo é ocupar o espaço", declarou o responsável da central sindical CGT Karim Asnoun. Abdel Ghalfi, do sindicato CFDT, disse que os taxistas pretendem fazer passar "mensagens fortes", até porque se "viram obrigados a passar a uma fase de radicalismo" no protesto.

Cerca das 05:00 de Lisboa, as forças antimotim foram obrigadas a intervir para desimpedir a via circular de Paris ("le périphérique"), que estava bloqueada numa das suas 'portas' mais utilizadas, a oeste, perante um cheiro a fumo e num ambiente de explosões de petardos e de caixotes do lixo tombados.

No "périphérique", um motorista de VTC (viaturas de transporte com condutor) viu os seus pneus furados e foi obrigado a sair da sua carrinha, que os grevistas tentaram em seguida virar, antes da intervenção das forças de segurança, relatou um jornalista da AFP.

Em Toulouse (sudoeste de França), uma quarentena de táxis bloqueavam o case à estação de comboios cerca das 06:00 e uma centenas de outros retardavam o acesso ao aeroporto.

Em Marselha, no sul, a mobilização dos taxistas perturbou a circulação nas vias de acesso ao aeroporto, numa altura em que uma centena de veículos "filtravam" a entrada num túnel rodoviário.

Os taxistas, que respondem ao apelo á mobilização do conjunto dos seus sindicatos, exigem a suspensão do serviço UberPOP e a aplicação das leis que proíbem o transporte clandestino de passageiros.

Lusa
  • Chamas passaram por cima da A23
    1:06

    País

    A A23 esteve cortada ao longo do dia por causa do fumo e das chamas. Em direto para a SIC Notícias, perto das 18h30, os repórteres da SIC presenciaram o momento em que o fogo passou por cima da autoestrada da Beira Interior.

  • Várias povoações evacuadas no concelho de Nisa

    País

    Várias povoações do concelho de Nisa, no distrito de Portalegre, foram esta quarta-feira à noite evacuadas, devido à ameaça do incêndio que lavra no concelho, disse à agência Lusa a presidente do município, Idalina Trindade.

  • "Só numa ditadura é possível tentar esconder o número de vítimas"
    0:51

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O primeiro-ministro diz que é "lamentável" a tentativa de aproveitamento político à volta dos incêndios. António Costa esteve esta quarta-feira à tarde na Autoridade Nacional de Proteção Civil e, no final do briefing, disse que é preciso confiança nas instituições do Estado. O primeiro-ministro deixou ainda muitas críticas à oposição no caso da lista de vítimas de Pedrógão Grande.

  • E os 10 mais ricos de Portugal são...

    Economia

    A família Amorim lidera a lista dos mais ricos do país, com uma fortuna avaliada em 3840 milhões de euros. Em segundo lugar surge Alexandre Soares dos Santos com 2532 milhões de euros. A família Guimarães de Mello ainda entra para o top 3, com um valor de 1471 milhões de euros. A lista foi elaborada pela revista EXAME, que conclui que os ricos estão ainda mais ricos, pela quarta vez consecutiva.

    Bárbara Ferreira

  • "Estou grávida! Estou a morrer!"
    1:14