sicnot

Perfil

Economia

Varoufakis nega medidas de controlo de capitais na Grécia

O ministro das Finanças grego nega afinal que esteja a ponderar medidas de controlo de capitais. Yanis Varoufakis terá dito o contrário numa entrevista à BBC Rádio e revelado que ponderava encerrar os bancos já amanhã e impôr controlo de capitais. Entretanto, o BCE vai manter o financiamento aos bancos da Grécia.

© Marko Djurica / Reuters

A rádio britânica citava o ministro grego, mas Varoufakis garantiu via Twitter que se opõe a medidas de controlo de capitais e que isso seria uma contradição no seio da união monetária. Escreve ainda que não vai considerar sequer impor limites aos levantamentos ou às transferências.

Certo é que o Conselho de Estabilidade Financeira da Grécia vai reunir-se esta tarde para discutir a situação dos bancos gregos. 

Entretanto, o Banco Central Europeu decidiu que, para já, não é necessário aumentar o financiamento aos bancos gregos. Os governadores decidiram manter o nível de empréstimos de emergência, assim deixando a porta aberta para uma solução política.

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38