sicnot

Perfil

Economia

Negociações reabertas, teleconferência do Eurogrupo analisa proposta grega

As negociações entre a Grécia e as instituições europeias foram reabertas. Para as 18:00 está marcada uma reunião dos ministros das Finanças da zona euro por teleconferência. O governo de Atenas propõe agora um acordo por dois anos com o Mecanismo Europeu de Estabilidade que garanta o financiamento e volta a pedir a restruturação da divida. Se nada se alterar nas próximas horas, a Grécia vai falhar hoje o pagamento de 1,6 mil milhões de euros ao FMI.  

© Yannis Behrakis / Reuters

Se a Grécia falhar o pagamento de 1,6 mil milhões de euros já hoje, mas não é por isso que vai entrar em incumprimento ('default'), dizem as agências de 'rating'. 

As três maiores agências de notação financeira mundiais dizem que falhar o pagamento de 1,6 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional, cujo prazo termina esta noite, não constitui um 'default' porque esse termo, que é evitado a todo o custo em Washington, está reservado para o incumprimento nos pagamentos aos credores do setor privado. 

De acordo com a agência financeira Bloomberg, a chave para aferir se existe ou não um 'default' está no Banco Central Europeu, o mesmo que, apesar de estar a manter o sistema financeiro grego vivo com uma injeção de quase 90 mil milhões de euros, ainda não se pronunciou sobre o que significa e quais as consequências da falta de pagamento já anunciada pelo Governo de Atenas. 

Em declarações à agência de notícias Bloomberg, o economista-chefe da UniCredit considerou que a manutenção para além de hoje desta linha de financiamento de emergência (Emergency Liquidity Assistance - ELA, no original em inglês) aos bancos gregos "não será tomada sem cobertura política ao mais alto nível", leia-se dos responsáveis políticos da zona euro. 

De acordo com as regras do Banco Central Europeu (BCE), este financiamento está disponível para os bancos enquanto forem solventes e tiverem colateral adequado, não havendo uma obrigação explícita de a Grécia ter os pagamentos em dia ao FMI para os bancos continuarem a receber ajuda. 

Outra nota importante sobre a reação do BCE é a negociação que está em curso entre Bruxelas e o Governo grego, e o anúncio, ao princípio da tarde, de que Atenas pediu um terceiro resgate. 

O presidente do Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF) que suporta a Grécia, Klaus Regling, disse ainda este mês que pode acelerar o pagamento de 130 mil milhões de euros à Grécia caso haja um atraso no pagamento ao FMI, por isso a Blomberg conclui que "o momento chave será quando a líder do FMI disser ao conselho de administração que a Grécia está atrasada no pagamento", o que acontecerá, já prometeu Christine Lagarde, rapidamente, provavelmente já na quarta-feira. 

Regling teria então de fazer uma recomendação ao conselho de administração do FEEF, composto pelos vice-ministros das Finanças da zona euro, explicou uma fonte comunitária à Bloomberg.

 

Com Lusa

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.