sicnot

Perfil

Economia

Bruxelas garante gás russo na Europa apesar de suspensão para a Ucrânia

A  Comissão Europeia garantiu hoje que o fornecimento de gás à Europa no próximo inverno não está em risco, apesar da rotura das negociações entre a Ucrânia e a Rússia devido a divergências sobre o preço.

(REUTERS)

(REUTERS)

© Sergei Karpukhin / Reuters

"Houve um compromisso claro por parte do lado russo e do lado ucraniano para assegurar um fornecimento suave e sem interrupções para a Europa", disse o comissário europeu para a Energia, Maros Sefkovic, numa conferência de imprensa hoje em Bruxelas, sublinhando que as reservas atuais da Ucrânia podem ser complementadas com compras a outros fornecedores para além do gigante russo Gazprom.

O anúncio da Comissão Europeia segue-se à confirmação, esta manhã, por parte da companhia de gás russa Gazprom da suspensão do fornecimento de gás à Ucrânia, uam consequência natural do anúncio, na terça-feira, por parte da Ucrânia relativamente ao falhanço das negociações para a compra de gás russo devido a divergências sobre o preço.

"A Ucrânia não pagou as suas entregas para o mês de julho. A partir das 10:00 de 1 de julho, as entregas de gás da Gazprom para a Ucrânia foram suspensas. A Gazprom não vai entregar gás à Ucrânia sem um pagamento antecipado, independentemente do preço", disse o presidente da empresa russa, Alexei Miller, num comunicado.

A paragem do fornecimento não deverá, no entanto, ameaçar significativamente o fornecimento de gás russo para a União Europeia, uma vez que a empresa estatal ucraniana Naftogaz prometeu que irá continuar a garantir plenamente o trânsito de gás russo para outros clientes europeus

  • Genro de Donald Trump depõe hoje no Senado

    Mundo

    Jared Kushner, genro do Presidente dos EUA Donald Trump, vai hoje depor à porta fechada perante o comité dos serviços de inteligência do Senado, a câmara alta do Congresso norte-americano.

  • " A melhoria das contas públicas não foi feita à custa dos portugueses"
    1:30

    País

    Numa espécie de balaço deste ano e meio de governação, o primeiro-ministro voltou a assinalar voltou a assinalar a redução do défice e as melhorias nas contas públicas. Num jantar com militantes em Coimbra, António Costa garantiu ainda que a "verdadeira reforça do Estado avança até ao final desta legislatura, que é a Descentralização.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15