sicnot

Perfil

Economia

Governo aprova recondução do governador do Banco de Portugal

O Conselho de Ministros aprovou hoje a nomeação de Carlos Costa para um segundo mandato de cinco anos como governador do Banco de Portugal.

O presidente do Banco de Portugal, Carlos Costa.

O presidente do Banco de Portugal, Carlos Costa.

LUSA

Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o ministro da Presidência referiu que esta nomeação foi feita na sequência da audição de Carlos Costa na Assembleia da República e do relatório sobre essa audição.

Carlos Costa foi nomeado governador do Banco de Portugal em 2010, pelo anterior Governo do PS, e está em funções desde 7 de junho desse ano.

Questionado se o conteúdo do relatório recebido do parlamento não é uma mera transcrição da audição de Carlos Costa, o ministro da Presidência, Luís Marques Guedes, respondeu que "é aquilo que a Assembleia da República faz, de acordo com a lei".

Segundo o ministro, "fica claro para todos que a maioria dos deputados, a maioria na Assembleia da República secundou a proposta que o Governo apresentou de designação do doutor Carlos Costa para um segundo mandato".

Interrogado se a recondução de Carlos Costa foi aprovada por unanimidade, Marques Guedes declarou que "todas as decisões do Conselho de Ministros são assumidas por todos os ministros". 

As decisões do Conselho de Ministros "não são do ministro A ou B, são sempre decisões do Governo no seu todo", acrescentou.

Nesta conferência de imprensa, Marques Guedes foi também questionado sobre a manifestação de pessoas que se consideram lesadas pelo Banco Espírito Santo (BES) em frente ao Conselho de Ministros.

O ministro da Presidência afirmou que desconhecia essa iniciativa e considerou que essa matéria é da responsabilidade "do supervisor financeiro e dos reguladores no seu conjunto" e não está relacionada a "qualquer decisão da parte do Governo".


Lusa

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.