sicnot

Perfil

Economia

Jerónimo de Sousa compara descida do desemprego em Portugal a um "iô-iô"

O líder da CDU, Jerónimo de Sousa, considerou hoje que a recuperação da economia e do emprego anunciada pelo Governo é "pura propaganda", comparando as estatísticas do desemprego a um "iô-iô".  

PAULO NOVAIS

"É a economia e o emprego iô-iô, vai acima e vai abaixo uma décima, mas não sai do mesmo sítio", enfatizou o secretário-geral comunista, numa intervenção em Coimbra para apresentar Manuel Pires Rocha como cabeça-de-lista do distrito às próximas eleições legislativas.

Baseando-se nos dados do desemprego de maio revelados esta semana pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), Jerónimo Sousa referiu que "a recuperação irreversível da economia e do emprego é pura propaganda".

"Um Governo que nos vem dizer que o país 'está a dar volta', mas ainda há dias ficámos a saber pelo INE, não só que nos últimos quatro anos abandonaram o país cerca de meio milhão portugueses, mas que o ano de 2014, o dito ano anunciado como o início da recuperação, bateu todos os recordes de emigração", sublinhou.

Numa intervenção ao ar livre, na Praça 08 de maio, no coração de Coimbra, o dirigente da CDU frisou que "a economia não sai do fundo onde esta política das 'troikas' a colocou e o desemprego não sai dessa brutal e dramática dimensão que ronda o milhão e duzentos mil pessoas sem emprego".

Apelidando a política da coligação PSD/CDS de tragédia, Jerónimo de Sousa precisou que, entre 2009 e 2014, foram destruídos mais de 470 mil postos de trabalho e que o número de portugueses abaixo do limiar da pobreza ultrapassou os 800 mil.

O líder comunista acusou ainda o Governo de, no caso da Grécia, estar "sempre lado dos interesses do grande capital e das grandes potências em todas as situações e circunstâncias e contra os direitos dos trabalhadores e dos povos". 

"Veja-se a inaceitável postura de alinhamento do Governo PDS/CDS, mas também do Presidente da República, no processo de chantagem e ingerência da União Europeia e do FMI sobre a Grécia, colocando-se na primeira linha da frente deste vergonhoso processo de pressão contra o povo grego, visando a sua rendição incondicional". 

Para Jerónimo de Sousa, trata-se de "uma posição condenável que traduz a clara opção que tem conduzido a sua intervenção em Portugal nestes quatro anos de governo, a de colocar sempre os interesses dos especuladores e agiotas à frente dos interesses nacionais e do nosso povo".

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.