sicnot

Perfil

Economia

Costa diz que paralisação do Túnel do Marão tornou obra mais cara

Costa diz que paralisação do Túnel do Marão tornou obra mais cara

O secretário-geral do PS afirmou hoje que a paragem da construção do Túnel do Marão, em 2011, contribuiu para a recessão económica, aumentou o desemprego e a sinistralidade e vai agora, que foi retomada, sair mais cara.

António Costa subiu à serra do Marão, à entrada do lado de Amarante do túnel rodoviário, inserido na autoestrada que vai ligar a Vila Real, para denunciar um dos "sete pecados capitais" do Governo PSD/CDS.

"Escolhi esta obra porque é uma obra exemplar, daquelas que ninguém questiona a sua importância para reforçar a coesão territorial e para diminuir a sinistralidade, e onde a paralisação é um bom exemplo de como saiu muito caro ao Estado e ao conjunto da sociedade", afirmou aos jornalistas.

A construção da Autoestrada do Marão parou em toda a extensão em junho de 2011, logo após a tomada de posse do Governo de coligação, tendo sido retomada apenas no verão do ano passado.

António Costa salientou que a paralisação provocou "desde logo 1400 despedimentos", adiou por quatro anos a conclusão de uma obra "essencial para reforçar a coesão territorial" e, "ao fim disto tudo, o Estado tem que fazer um novo contrato, onde teve um acréscimo de 25% nos custos".

"Isto custa mais 30 milhões de euros e com condições de financiamento muito mais desfavoráveis do que as que estavam em vigor à data em que a obra foi paralisada", reforçou.

E, na sua opinião, este é um bom exemplo de que parar "o investimento não ajudou o país a desenvolver-se, não ajudou à consolidação das finanças públicas, pelo contrário, quebrou a economia" e agora vai ficar "mais caro do que se a obra tivesse tido continuidade".

António Costa foi recebido numa das bocas do túnel rodoviário por António Ramalho, presidente da nova empresa Infraestruturas de Portugal, que uniu a Estradas de Portugal à Refer.

Questionado pelos jornalistas, António Ramalho divergiu da opinião do líder socialista e garantiu que, fazer "a obra por empreitada direta é muito mais barato do que fazê-la em Parceria Público Privada (PPP) como estava previsto". 

"Estavam previstos custos para esta obra em PPP de 1.300 milhões de euros. E esta obra vai ser concluída por menos de 400 milhões de euros, mesmo já com custos de manutenção. Nem é um assunto discutível, é um valor muitíssimo mais reduzido do que a PPP que foi rescindida", salientou o responsável pela Infraestruturas de Portugal.

Dois anos após a paralisação da Autoestrada do Marão, o Estado resgatou a concessão e lançou três concursos públicos, separando a sua construção em três empreitadas.

Esta via vai ligar a A4 (Porto/Amarante) à Autoestrada Transmontana (Vila Real/ Bragança) a partir de 2016.

Desde o início da empreitada, no verão de 2009, as obras foram suspensas três vezes, sendo que, da primeira vez, o foram apenas na escavação do túnel e por causa de duas providências cautelares interpostas pela empresa Água do Marão.

 

Lusa

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.