sicnot

Perfil

Economia

FMI revê em baixa crescimento económico mundial para 3,3% em 2015

O Fundo Monetário Internacional (FMI) reviu em baixa o crescimento económico global em 2015, estimando agora que a economia mundial melhore 3,3%, menos 0,2 pontos percentuais do que o projetado em abril.

© Nikola Solic / Reuters

Segundo a atualização de julho ao 'World Economic Outlook' (WEO) divulgada hoje, o FMI espera agora que a economia mundial cresça 3,3% este ano, uma melhoria "ligeiramente abaixo da verificada em 2014", que foi de 3,4%, "com uma retoma gradual das economias desenvolvidas e um abrandamento do mercado emergente".

A estimativa hoje divulgada para o conjunto deste ano está 0,2 pontos percentuais abaixo da estimativa de 3,5% do WEO divulgado em abril, uma revisão em baixa que o Fundo justifica com um abrandamento da atividade económica no primeiro trimestre, "principalmente na América do Norte", que observou um "enfraquecimento inesperado".

O Fundo espera agora que as economias desenvolvidas cresçam 2,1% este ano (menos 0,3 pontos percentuais do que o estimado em abril), e, entre elas, que os Estados Unidos cresçam 2,5%, menos 0,6 pontos percentuais face a abril, o que representa a maior revisão em baixa do grupo.

Apesar das incertezas da situação na Grécia, a instituição liderada por Christine Lagarde mantém inalterada a perspetiva para o conjunto da zona euro, antevendo que a economia dos 19 países cresça 1,5% este ano e 1,7% em 2016.

"As projeções de crescimento foram revistas em alta em vários países da zona euro [Itália +0,2 pontos e Espanha +0,6 pontos], mas na Grécia, os desenvolvimentos devem prejudicar a atividade económica mais do que o previsto inicialmente", afirma o FMI, considerando ainda que economia da zona euro continua a recuperar, sobretudo devido à melhoria da procura interna e da inflação.

Apesar de os desenvolvimentos na Grécia "não terem ainda resultado em contágios significativos", a instituição sediada em Washington defende que devem ser aplicadas políticas para "lidar com esses riscos, caso eles se materializem". 

No entanto, escreve o FMI, "permanecem alguns riscos de uma nova crise financeira", sobretudo depois de aumentos recentes nas taxas de juro soberanas em algumas economias do euro.

Outros riscos que podem influenciar estas projeções são um aumento do preço do petróleo e baixa inflação (especialmente nas economias desenvolvidas), a continuação da apreciação do dólar (com impactos nas economias emergentes) ou mais dificuldades na China, bem como contágios das tensões geopolíticas na Ucrânia, Médio Oriente e partes de África. 

Segundo o Fundo, o abrandamento da atividade económica nas economias emergentes reflete uma redução do preço das matérias-primas e condições de financiamento mais apertadas, a situação na China e as preocupações perante tensões geopolíticas. 

O FMI reviu em baixa a estimativa de crescimento para estas economias, antecipando agora que cresçam 4,2% este ano, menos 0,1 pontos do que o estimado em abril.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.