sicnot

Perfil

Economia

Eurogrupo impõe lista de condições para acordo com a Grécia

Já são conhecidas algumas das medidas que os ministros das Finanças querem que a Grécia implemenmte, para que possa ter acesso a um empréstimo de emergência de curto prazo.

Virginia Mayo

A agência Reuters teve acesso à lista de condições que está a ser ultimada no Eurogrupo: os ministros querem que os país chegue a um excedente primário de 3,5% do PIB, daqui a 3 anos, mas também a reforma do sistema de pensões, a privatização da empresa de distribuição de eletricidade, e a abertura do comércio ao domingo.

São estas algumas das medidas que o Eurogrupo quer ver implementadas na Grécia além das propostas já apresentadas pelo Governo de Atenas.


Os 19 ministros estão reunidos há quase 4 horas, depois de não terem chegado a um acordo, na maratona de 9 horas de ontem.

O ministro finlandês das Finanças negou que tenha sido ele, ontem, a travar um entendimento, mas avisou, esta manhã, que ainda há muito caminho a percorrer para alcançar uma solução para a Grécia.

Durante a tarde reúnem-se os chefes de Estado e de Governo, para analisar as conclusões que sairem deste Eurogrupo.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".