sicnot

Perfil

Economia

UE multa Espanha em 18,93 milhões de euros por manipulação de contas públicas

A União Europeia multou a Espanha em 18,93 milhões de euros por ter manipulado as estatísticas, os números do défice e da dívida pública da Comunidade Valenciana, através da ocultação sistemática de parte dos gastos com a Saúde. 

© Dado Ruvic / Reuters

O falseamento das contas de que fala Bruxelas aconteceu entre 1988 e 2011, mas a multa refere-se apenas ao período entre 2011 e 2012, uma vez que a Comissão Europeia apenas dispõe de poderes para investigar as estatísticas dos Estados-membros desde esse ano. O Governo espanhol corrigiu os procedimentos incorretos em 2012.

A multa fica muito abaixo do máximo previsto pela União Europeia, que era de 0,2% do PIB do Estado infrator, o que no caso de Espanha daria um total de 2 mil milhões de euros.

Trata-se, no entanto, da primeira vez que a UE sanciona um Estado-membro por manipulação das estatísticas à luz da nova legislação aprovada em 2011, criada no seguimento das estatísticas falsificadas na Grécia.

Em maio, quando a UE anunciou que iria propor uma multa para Espanha, a comissária com a tutela do Eurostat, Marianne Thyssen, explicou que a investigação comunitária tinha concluído "que a comunidade autónoma de Valência cometeu uma negligência grave ao não registar gastos com a Saúde".

"Valência informou incorretamente sobre o gasto sanitário e enviou dados incorretos sobre os gastos públicos às autoridades estatísticas espanholas. Como resultado, durante muito tempo, os dados enviados por Espanha ao Eurostat no contexto do procedimento por défice excessivo não eram completamente corretos", salientou.

O executivo comunitário responsabilizou pela negligência as autoridades da Generalitat Valenciana (gerido durante 20 anos e até junho deste ano pelo Partido Popular, no governo em Madrid) e considerou que este atuou isoladamente. A comissão também levou em conta a colaboração das autoridades de Madrid nas investigações.

Esta colaboração foi considerada um "fator atenuante" na multa hoje anunciada.

O falseamento das estatísticas na Comunidade Valenciana tornou-se público em maio de 2012, em plena crise da dívida, quando Espanha informou o Eurostat de que o défice de 2011 teria de ser revisto quatro décimas de ponto em alta, para 8,9% do PIB. Este aumento dizia respeito às contas da Comunidade Valenciana e de Madrid, mas apenas na região do nordeste de Espanha se verificaram irregularidades.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    1:16

    Perdidos e Achados

    Ao final do dia 29 de Junho de 1975, 89 agentes da PIDE fugiam da cadeia de Vale de Judeus, em Alcoentre. Mais de 40 anos depois, Perdidos e Achados recupera um dos acontecimentos do Verão Quente em Portugal. Hoje no Jornal da Noite e conteúdos exclusivos no site.

    Hoje no Jornal da Noite

  • "O FC Porto não merece ser campeão"
    2:23
    Play-Off

    Play-Off

    DOMINGO 22:00

    O empate do FC Porto com o Feirense foi o principal assunto do Play-Off da SIC Notícias, este domingo. Rodolfo Reis mostrou-se insatisfeito com a atitude dos jogadores do FC Porto.

  • Uma volta a Portugal. De bicicleta mas sem licra

    País

    Um grupo de professores propõe-se a repetir o percurso da 1.ª Volta a Portugal em Bicicleta, 90 anos depois. Não se trata de uma corrida, pelo contrário querem provar que qualquer um o pode fazer e promover o uso da bicicleta como meio de transporte pessoal. “Dar a volta” parte para a estrada esta quarta-feira, de Lisboa a Setúbal, tal como em 26 de abril de 1927.

    Ricardo Rosa

  • Casa Madonna di Fatima em Roma é um lar de idosos com 9 irmãs portuguesas
    4:29

    Mundo

    A mais antiga igreja dedicada à Senhora de Fátima em Roma tem mais de 50 anos. Foi construída pelas franciscanas hospitaleiras do Imaculado Coração, uma congregação fundada em Portugal. Hoje, as religiosas portuguesas gerem um lar na mesma rua, mas o templo foi entregue a uma congregação italiana.

  • Défice recua em 2016 na zona euro e na UE

    Economia

    O défice e a dívida baixaram na zona euro e na União Europeia (UE) em 2016 face a 2015, tendo Portugal registado a terceira maior dívida (130,4%) entre os Estados-membros e um défice de 2%, segundo o Eurostat.