sicnot

Perfil

Economia

UE multa Espanha em 18,93 milhões de euros por manipulação de contas públicas

A União Europeia multou a Espanha em 18,93 milhões de euros por ter manipulado as estatísticas, os números do défice e da dívida pública da Comunidade Valenciana, através da ocultação sistemática de parte dos gastos com a Saúde. 

© Dado Ruvic / Reuters

O falseamento das contas de que fala Bruxelas aconteceu entre 1988 e 2011, mas a multa refere-se apenas ao período entre 2011 e 2012, uma vez que a Comissão Europeia apenas dispõe de poderes para investigar as estatísticas dos Estados-membros desde esse ano. O Governo espanhol corrigiu os procedimentos incorretos em 2012.

A multa fica muito abaixo do máximo previsto pela União Europeia, que era de 0,2% do PIB do Estado infrator, o que no caso de Espanha daria um total de 2 mil milhões de euros.

Trata-se, no entanto, da primeira vez que a UE sanciona um Estado-membro por manipulação das estatísticas à luz da nova legislação aprovada em 2011, criada no seguimento das estatísticas falsificadas na Grécia.

Em maio, quando a UE anunciou que iria propor uma multa para Espanha, a comissária com a tutela do Eurostat, Marianne Thyssen, explicou que a investigação comunitária tinha concluído "que a comunidade autónoma de Valência cometeu uma negligência grave ao não registar gastos com a Saúde".

"Valência informou incorretamente sobre o gasto sanitário e enviou dados incorretos sobre os gastos públicos às autoridades estatísticas espanholas. Como resultado, durante muito tempo, os dados enviados por Espanha ao Eurostat no contexto do procedimento por défice excessivo não eram completamente corretos", salientou.

O executivo comunitário responsabilizou pela negligência as autoridades da Generalitat Valenciana (gerido durante 20 anos e até junho deste ano pelo Partido Popular, no governo em Madrid) e considerou que este atuou isoladamente. A comissão também levou em conta a colaboração das autoridades de Madrid nas investigações.

Esta colaboração foi considerada um "fator atenuante" na multa hoje anunciada.

O falseamento das estatísticas na Comunidade Valenciana tornou-se público em maio de 2012, em plena crise da dívida, quando Espanha informou o Eurostat de que o défice de 2011 teria de ser revisto quatro décimas de ponto em alta, para 8,9% do PIB. Este aumento dizia respeito às contas da Comunidade Valenciana e de Madrid, mas apenas na região do nordeste de Espanha se verificaram irregularidades.

Lusa

  • Primeiro-ministro hoje na cidade da Praia 

    País

    O primeiro-ministro, António Costa, está hoje em Cabo Verde para a a IV cimeira bilateral entre Portugal e aquele país africano, aproveitando a passagem pela cidade da Praia para inaugurar a escola portuguesa.

  • Deputados britânicos debatem hoje petição que desvaloriza visita de Donald Trump

    Mundo

    Os deputados britânicos debatem hoje uma petição que reclama que a futura visita de Estado do Presidente norte-americano, Donald Trump, seja reduzida a uma visita oficial, enquanto dezenas de milhares de pessoas se manifestam sobre o mesmo assunto. Dezenas de milhares de pessoas são esperadas hoje nas ruas de várias cidades do Reino Unido, em protestos organizados para coincidir com a discussão no parlamento (na Câmara dos Comuns) de uma petição 'online' que já tem quase dois milhões de subscritores.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Matteo Renzi demite-se da liderança do Partido Democrático

    Mundo

    O antigo primeiro-ministro italiano Matteo Renzi demitiu-se hoje da liderança do Partido Democrata (PD), uma decisão que faz parte de uma estratégia para retomar o controlo da formação de centro-esquerda, onde uma minoria mais à esquerda ameaça cindir-se.