sicnot

Perfil

Economia

Governo vai pedir explicações sobre alteração de quota recomendada para a sardinha

O secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu, vai pedir explicações sobre o parecer científico que recomenda uma quota de pesca para a sardinha ibérica de 1.587 toneladas em 2016, por considerar este cenário "anormal".

© Pichi Chuang / Reuters

Em declarações à Agência Lusa, o secretário de Estado mostrou-se surpreendido com o cenário restritivo sugerido pelo do Conselho Internacional para a Exploração dos Mares (ICES, na sigla inglesa) e avançou que vai pedir esclarecimentos.

Segundo disse, o que o ICES faz, com base nos dados que recolhe, "é criar uma série de cenários e, desta vez, faz uma recomendação das possibilidades de captura escolhendo um dos cenários que não é normalmente o que o ICES escolhe, sendo o mais restritivo em termos de capturas", decisão para a qual não encontra explicação.

"Teremos que ir falar com o ICES, é uma matéria que terá de ser esclarecida com o ICES, até porque temos, mais do que nunca, conhecimento de qual é o estado de 'stock', a distribuição geográfica, o esforço de captura, a evolução da biomassa", afirmou Pinto de Abreu, destacando a "vigilância próxima" que está a ser feita sobre esta espécie.

"Temos de perceber que o que está aí [no relatório do ICES] corresponde ao cenário mais precaucionário de todos em termos ambientais e é um cenário de menor captura possível, mais drástico do que isto é não capturar nada", enfatizou.

O secretário de Estado lembrou que o 'stock' de sardinha ibérica é gerido em conjunto por Portugal e Espanha e que, "quer um Estado quer o outro, quer que assim se mantenha". Por isso, é preciso perceber "se há razões objetivas" para a recomendação do ICES, já que esta avaliação terá de ser levada em conta no plano de gestão da sardinha que vai suceder ao plano trienal que foi decidido em 2012 e termina no final deste ano.

O governante afirmou, por outro lado, que apesar de se ter conseguido "estancar a redução de biomassa" com as limitações de pesca da sardinha, não houve "melhoria considerável" e sublinhou que terá de haver uma "decisão fundamentada", caso o Governo decida ir "ao arrepio daquilo que o ICES diz".

Para já, garantiu, "está tudo em aberto".

Questionado sobre o impacto da escassez de sardinha sobre a indústria conserveira, Pinto de Abreu assinalou que "o setor conserveiro soube criar alternativas para lhe fornecer a matéria-prima" e conseguiu manter o crescimento da sua atividade.

"O que não quer dizer que se não houvesse mais sardinha não crescesse mais", reconheceu.

Lusa

  • Marcelo Rebelo de Sousa avisou que depois das autárquicas viria um novo ciclo. A lógica levou-nos a assumir que estava a falar do PSD, mas hoje, olhando para a situação política, devemos também incluir nessa previsão a “geringonça” e os seus equilíbrios. Não acredito que as coisas mudem até às legislativas, mas as contas só se fazem depois dos votos das autárquicas. Até lá, o tom de voz das esquerdas vai engrossar.

    Bernardo Ferrão

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Milhares protestam na Catalunha contra Madrid
    1:45

    Mundo

    O Governo de Madrid mostrou-se disposto a dar mais dinheiro e autonomia financeira à Catalunha, se o Governo Regional suspender o referendo independentista. A 10 dias da consulta popular, a tensão é explosiva, com protestos nas ruas, detenções e confrontos com as autoridades.

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • Complexo Agroindustrial do Cachão abandonado e exposto à poluição
    2:03
  • Família Portugal Ramos
    15:01

    As Famílias Vintage regressaram esta quinta-feira, com uma viagem ao Alentejo. Foi a partir desta região que João Portugal Ramos conquistou um lugar entre os grandes do setor. Desde há 25 anos a vindimar em seu nome, o enólogo produz seis milhões de litros de vinho por ano.

  • Se pedir ao seu cão para ir buscar uma garrafa de vinho ele vai?
    0:49

    País

    Há 25 anos a vindimar no Alentejo, o enólogo João Portugal Ramos produz seis milhões de litros de vinho por ano. Em Estremoz comprou casa e terra. Iniciou a plantação de vinhas próprias e a construção de uma adega. Um espaço que conhece como as palmas da mão. Ele e um amigo muito especial.

  • Presidente das Filipinas pede que matem o filho se estiver envolvido nas drogas

    Mundo

    O Presidente das Filipinas pediu que matassem o seu filho se as acusações de que traficava droga fossem provadas. Rodrigo Duterte destacou ainda que, caso fosse verdade, iria proteger as autoridades que executassem Paolo Duterte. Em causa está a acusação de que o filho do Presidente filipino faria parte da máfia chinesa, que contrabandeia drogas, vindas da China para dentro do país.

    SIC

  • Morreu a mulher mais rica do mundo

    Mundo

    Liliane Bettencourt, herdeira do grupo de cosméticos L'Oréal e a mulher mais rica do mundo, segundo a revista Forbes, morreu na quarta-feira à noite aos 94 anos, anunciou a família.

  • Espanhola tenta provar há sete anos que está viva

    Mundo

    Uma mulher de 53 anos está há sete anos a tentar provar que está viva. Segundo o Estado espanhol, Juana Escudero Lezcano morreu a 13 de maio de 2010, mas na realidade quem morreu foi uma mulher com o mesmo nome e data de nascimento.

    SIC