sicnot

Perfil

Economia

Governo vai pedir explicações sobre alteração de quota recomendada para a sardinha

O secretário de Estado do Mar, Manuel Pinto de Abreu, vai pedir explicações sobre o parecer científico que recomenda uma quota de pesca para a sardinha ibérica de 1.587 toneladas em 2016, por considerar este cenário "anormal".

© Pichi Chuang / Reuters

Em declarações à Agência Lusa, o secretário de Estado mostrou-se surpreendido com o cenário restritivo sugerido pelo do Conselho Internacional para a Exploração dos Mares (ICES, na sigla inglesa) e avançou que vai pedir esclarecimentos.

Segundo disse, o que o ICES faz, com base nos dados que recolhe, "é criar uma série de cenários e, desta vez, faz uma recomendação das possibilidades de captura escolhendo um dos cenários que não é normalmente o que o ICES escolhe, sendo o mais restritivo em termos de capturas", decisão para a qual não encontra explicação.

"Teremos que ir falar com o ICES, é uma matéria que terá de ser esclarecida com o ICES, até porque temos, mais do que nunca, conhecimento de qual é o estado de 'stock', a distribuição geográfica, o esforço de captura, a evolução da biomassa", afirmou Pinto de Abreu, destacando a "vigilância próxima" que está a ser feita sobre esta espécie.

"Temos de perceber que o que está aí [no relatório do ICES] corresponde ao cenário mais precaucionário de todos em termos ambientais e é um cenário de menor captura possível, mais drástico do que isto é não capturar nada", enfatizou.

O secretário de Estado lembrou que o 'stock' de sardinha ibérica é gerido em conjunto por Portugal e Espanha e que, "quer um Estado quer o outro, quer que assim se mantenha". Por isso, é preciso perceber "se há razões objetivas" para a recomendação do ICES, já que esta avaliação terá de ser levada em conta no plano de gestão da sardinha que vai suceder ao plano trienal que foi decidido em 2012 e termina no final deste ano.

O governante afirmou, por outro lado, que apesar de se ter conseguido "estancar a redução de biomassa" com as limitações de pesca da sardinha, não houve "melhoria considerável" e sublinhou que terá de haver uma "decisão fundamentada", caso o Governo decida ir "ao arrepio daquilo que o ICES diz".

Para já, garantiu, "está tudo em aberto".

Questionado sobre o impacto da escassez de sardinha sobre a indústria conserveira, Pinto de Abreu assinalou que "o setor conserveiro soube criar alternativas para lhe fornecer a matéria-prima" e conseguiu manter o crescimento da sua atividade.

"O que não quer dizer que se não houvesse mais sardinha não crescesse mais", reconheceu.

Lusa

  • Rui Patrício confirmado no Wolverhampton

    Desporto

    O Wolverhampton anunciou esta segunda-feira a contratação do guarda-redes Rui Patrício, depois da rescisão com o Sporting. O guarda-redes da seleção nacional assinou contrato com o clube inglês por quatro épocas.

    SIC

  • Novo treinador do Sporting diz que mulheres não estão preparadas para falar de futebol
    1:23
  • Salto de Cristiano Ronaldo inspira dança afro-beat

    Desporto

    Uma música humorística afro-beat, publicada nas redes sociais e inspirada nos saltos de Cristiano Ronaldo quando marca golos, está a ser replicada na internet com dezenas de coreografias filmadas, muitas das quais em França.

  • Ronaldo no País dos Sovietes: As religiões praticadas na Rússia
    1:55
  • Merkel tem duas semanas para negociar solução para crise migratória

    Mundo

    A chanceler alemã tem duas semanas para negociar com os parceiros europeus uma solução para a questão migratória e assim evitar uma crise política. O ultimato foi dado pelo CSU, o partido da Baviera que integra a coligação governamental. Ao contrário de Angela Merkel, defende uma política para os refugiados mais estrita.

  • Pai de Meghan Markle lamenta ser "nota de rodapé" no casamento real
    2:03
  • Quando as crianças fazem das suas... os pais é que pagam

    Mundo

    Quando as crianças fazem das suas, restam os pais para as castigar ou, em alguns casos, para sofrer as consequências desses atos. Quem o pode dizer é um casal norte-americano, que recebeu uma fatura de 132 mil dólares (cerca de 114 mil euros), depois de o filho ter derrubado uma estátua num centro comunitário.

    SIC