sicnot

Perfil

Economia

Linhas áereas vão precisar de 558 mil novos pilotos nos próximos 20 anos

As linhas aéreas comerciais vão precisar de recrutar e treinar 558 mil novos pilotos nos próximos 20 anos, para fazer face ao aumento do número de viagens, segundo uma previsão divulgada hoje pela Boeing.

© Nguyen Huy Kham / Reuters

Cerca de 40 dos novos pilotos comerciais, ou 226 mil, serão necessários na região Ásia Pacífico, refere o relatório.

As necessidades são idênticas para técnicos de manutenção de aviões, para onde vão ser necessários 609 mil técnicos.

Segundo o relatório, outros funcionários vão ser necessários para a construção projetada de 38 mil novos aviões para a frota global, acrescentou o gigante aeroespacial norte-americano.

A Boeing tem 17 campos de formação no mundo.

"O desafio de responder à procura global de profissionais daquele setor não será resolvido por uma única empresa", afirmou a vice-presidente da Boeing Flight Services, Sherry Carbary.

"Os fabricantes de aeronaves, companhias aéreas, fabricantes de equipamentos de treino, organizações de formação, agências reguladoras e instituições educacionais estão a preparar-se para responder ao aumento da necessidade de treinar e certificar pilotos e técnicos", acrescentou.

A seguir à Ásia Pacífico, a América do Norte e a Europa são as outras regiões com maior necessidade de novos pilotos nos próximos 20 anos.

Segundo o relatório, tanto a América do Norte, como a Europa, vão precisar de 95 mil novos pilotos.

Para o Médio Oriente vão ser necessários 60 mil novos pilotos, para a América Latina 47 mil, África 18 mil e a Rússia 17 mil, segundo a Boeing.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Ministra admite que a maioria dos incêndios começaram por mão humana
    1:57

    País

    A Ministra da Administração Interna admitiu esta quarta-feira que a maioria dos incêndios deste ano começaram por mão humana, mas Constança Urbano de Sousa entende que é cedo para tirar outras conclusões. Já o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Adelino Gomes, diz que não há duvidas e fala em terrorismo organizado. 

  • Sismo na região de Lisboa sentido num raio de 150km
    3:19