sicnot

Perfil

Economia

Linhas áereas vão precisar de 558 mil novos pilotos nos próximos 20 anos

As linhas aéreas comerciais vão precisar de recrutar e treinar 558 mil novos pilotos nos próximos 20 anos, para fazer face ao aumento do número de viagens, segundo uma previsão divulgada hoje pela Boeing.

© Nguyen Huy Kham / Reuters

Cerca de 40 dos novos pilotos comerciais, ou 226 mil, serão necessários na região Ásia Pacífico, refere o relatório.

As necessidades são idênticas para técnicos de manutenção de aviões, para onde vão ser necessários 609 mil técnicos.

Segundo o relatório, outros funcionários vão ser necessários para a construção projetada de 38 mil novos aviões para a frota global, acrescentou o gigante aeroespacial norte-americano.

A Boeing tem 17 campos de formação no mundo.

"O desafio de responder à procura global de profissionais daquele setor não será resolvido por uma única empresa", afirmou a vice-presidente da Boeing Flight Services, Sherry Carbary.

"Os fabricantes de aeronaves, companhias aéreas, fabricantes de equipamentos de treino, organizações de formação, agências reguladoras e instituições educacionais estão a preparar-se para responder ao aumento da necessidade de treinar e certificar pilotos e técnicos", acrescentou.

A seguir à Ásia Pacífico, a América do Norte e a Europa são as outras regiões com maior necessidade de novos pilotos nos próximos 20 anos.

Segundo o relatório, tanto a América do Norte, como a Europa, vão precisar de 95 mil novos pilotos.

Para o Médio Oriente vão ser necessários 60 mil novos pilotos, para a América Latina 47 mil, África 18 mil e a Rússia 17 mil, segundo a Boeing.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.