sicnot

Perfil

Economia

Dirigentes da japonesa Toshiba demitem-se após escândalo financeiro

A Toshiba anunciou hoje que o seu presidente, Hisao Tanaka, vai abandonar o cargo após o escândalo de manipulação da contabilidade, que chegou a inflacionar os lucros da empresa em 1.125 milhões de euros durante quase sete anos.

© Thomas Peter / Reuters

Em comunicado enviado à bolsa de Tóquio, a multinacional nipónica dedicada às infraestruturas e eletrónica, explicou que, tanto Tanaka, como outros cinco membros do conselho de administração "vão deixar hoje os cargos e a partir do dia 22 (quarta-feira) outras pessoas vão ocupar os seus postos".

Norio Sasaki, atualmente vice-presidente do conselho de administração, e Atsutoshi Nishida, conselheiro especial, também abandonam funções pelas mesmas razões.

A demissão ocorre depois da publicação de um relatório de um grupo de peritos independentes que revelou como a direção da Toshiba alimentou a manipulação "sistemática" da contabilidade da empresa, com a qual chegou a inflacionar os lucros operacionais em 151.800 milhões de ienes (1.221 milhões de dólares ou 1.125 milhões de euros) entre 2008 e 2014.

Tanaka, de 64 anos, e Sasaki, de 66, juntaram-se à Toshiba no início dos anos 1970.

Lusa

  • Português de 15 anos morre em estância de esqui em Espanha

    País

    Um jovem português morreu esta quarta-feira numa estância de esqui, em Espanha. O rapaz de 15 anos queixou-se de dores de cabeça e foi transportado para a Unidade de Cuidados de Saúde da Estância de Esqui, onde acabou por morrer.

    Em desenvolvimento

  • Europa num clima de tensão parecido ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra Mundial
    2:18

    Mundo

    O populismo e a demonização do outro estão a conduzir a Europa a um clima de tensão semelhante ao dos anos que antecederam a 2.ª Guerra mundial. A conclusão é do relatório anual da Amnistia internacional, que denuncia ainda que 2016 foi um ano de "implacável miséria e medo" para milhões de pessoas. Embalados pelo discurso do medo, vários governos recuaram nos direitos humanos.