sicnot

Perfil

Economia

Há fruta ó ... sumos!

A venda de sumos de laranja e saladas de fruta é uma novidade deste verão nas praias algarvias, cada vez mais procuradas para venda de novos produtos, segundo o chefe do Departamento Marítimo do Sul da Marinha.

(arquivo)

(arquivo)

© Murad Sezer / Reuters

O comandante Paulo Isabel referiu à Lusa que este ano o número de licenças de venda ambulante - a chamada "venda de saco às costas" - aumentou 10%, tendo sido autorizadas 300 nos areais de todo o distrito de Faro.

"O tradicional há uns anos era a bola de Berlim. Atualmente, temos pedidos de fruta, de bolas de Berlim com recheios diferentes, temos pedidos também de venda de sumos embalados", explicou o também comandante regional da Polícia Marítima.

Mal chega ao areal de Vilamoura, o vendedor Nuno Ribeiro recebe um sinal de Crisálida Carvalho e do marido, que ficaram curiosos e quiseram comprar uma garrafa de sumo de laranja.

"Nunca tinha visto este sumo à venda. Se realmente é sumo natural, acho que é uma ideia bastante agravável [...], mesmo para os miúdos", diz Crisálida.

Após terem "tomado as rédeas" do negócio de venda de laranjas dos avós, localizado em Boliqueime, concelho de Loulé, Miguel Coelho e o irmão apostaram na venda de sumo de laranja algarvia acabado de fazer à beira da estrada.

O sucesso da experiência encorajou-os a dar mais um passo e este ano estão a vender sumo fresco e engarrafado nas praias de Vilamoura e Quarteira.

Atualmente, a Laranjas Baguinho produz diariamente entre 150 e 200 litros de sumo de laranja engarrafado, em embalagens de meio litro e de um litro, para venda nas praias, mas, com o pico da época turística a chegar, espera superar esse valor e também já começa a distribuir em estabelecimentos comerciais, em unidades hoteleiras e em eventos, para onde também sugerem a caipirinha de laranja.

"A grande aceitação que temos tido por parte do público e o reconhecimento que também está a ser feito pelas autoridades que nos deram os licenciamentos faz-nos acreditar que no próximo ano poderemos estar presentes num maior número de praias", explica Miguel Coelho, que se diz motivado a ajudar a economia local e a valorizar a laranja algarvia.

Os objetivos são partilhados por Hugo Lopes, que em 2014 começou a vender caixas com saladas de frutas da época ou tropicais nas praias do sotavento algarvio.

"Queria estar na minha sombrinha, estar com a minha família, não ter de os deixar e ir fazer uma compra e poder comer fruta e saborear algo mais saudável e alternativo", conta.

Este ano, a empresa Fruta Mar está a vender as suas saladas em praias desde Tavira até à ilha de Faro já conseguiu avançar para as praias espanholas de Ayamonte. Também começa a chegar a cantinas escolares e à restauração.

"Os grandes clientes que eu tenho mesmo nas praias são as crianças. Sempre pensei que seriam as senhoras a querer manter a linha, mas não", refere Hugo Lopes, que diariamente vende cerca de 200 caixas de salada de fruta nas praias das ilhas de Tavira, Cabanas, Fuseta, Faro e na praia do Barril.

Agora, tem como ambição chegar a vários locais da Península Ibérica.

O sucesso que teve no ano passado não passou despercebido e já outros empresários conseguiram licença para vender noutras praias.

Lusa

  • As vítimas do ataque de Londres

    Ataque em Londres

    O ataque desta quarta-feira ao Parlamento britânico em Londres fez quatro mortos, incluindo o atacante. Cerca de 40 pessoas de 11 países diferentes ficaram feridas, entre as quais 29 precisaram de ser levadas para o hospital, onde sete continuam em estado crítico.

    Ana Rute Carvalho

  • Inclusão social em Évora
    2:08

    País

    Mais de 40 empresas do distrito de Évora abriram as portas durante um dia a pessoas portadoras de deficiência. É ideia foi sublinhar a importância da  inclusão no mercado de trabalho.