sicnot

Perfil

Economia

Novas inscrições nos centros de emprego aumentam em junho

O total de desempregados inscritos nos centros de emprego diminuiu 12,7% em junho face ao mesmo mês de 2014 e recuou 3,1% face a maio, segundo dados hoje divulgados pelo IEFP. ​Contudo, de acordo com o Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP), o número de desempregados que ao longo do mês de junho deste ano se inscreveram nos centros de emprego de todo o país aumentou 6,1% face ao período homólogo, somando 53.650 pessoas.

O Instituto de Emprego e Formação Profissional acredita que o número pode vir a crescer tendo em conta a reação, quer por parte das empresas quer dos desempregados nesta fase de lançamento. (Arquivo)

O Instituto de Emprego e Formação Profissional acredita que o número pode vir a crescer tendo em conta a reação, quer por parte das empresas quer dos desempregados nesta fase de lançamento. (Arquivo)

Lusa

A este nível, destacou-se a subida do fluxo de desempregados que foi mais notória na região autónoma dos Açores, tanto face ao mês homólogo como ao mês anterior, progredindo 9,4% e 29,8%, respetivamente.

No final de junho estavam inscritos como desempregados nos centros de emprego do continente e das regiões autónomas um total de 536.656 pessoas, número que representa 69,1% de um total de 776.883 pedidos de emprego.

O total de desempregados registados diminuiu em 78.326 em comparação com junho de 2014 e em 19.583 face ao mês anterior, tendo-se registado, face ao mês homólogo, uma descida do desemprego nos homens (-14,0%) e nas mulheres (-11,5%).

Por grupo etário, o desemprego nos jovens e nos adultos apresentou uma descida anual de 13,8% e de 12,6%, respetivamente, sendo que os desempregados inscritos há menos de um ano diminuíram 13,2% em relação a junho de 2014 e os desempregados de longa duração (tempo de inscrição igual ou superior a um ano) desceram 12,3%.

O número dos desempregados que procuravam um novo emprego diminuiu 13,2% em termos homólogos, assim como aqueles que procuravam o primeiro emprego (-8,3%).

O IEFP aponta descidas no desemprego em todos os níveis de instrução, tendo a queda percentual mais elevada acontecido no 1.º ciclo do ensino básico, com --15,2% face ao mês homólogo de 2014.

A nível regional, o desemprego registou uma diminuição homóloga em todas as regiões do país, com exceção da Madeira (+0,8%), sendo que também em relação ao mês anterior todas as regiões apresentaram menos desempregados inscritos.

Os grupos profissionais mais representativos dos desempregados registados no continente eram em junho os "trabalhadores não qualificados" (23,7%), os "trabalhadores dos serviços pessoais, de proteção segurança e vendedores" (18,2%) e os "trabalhadores qualificados da indústria, construção e artífices" (15,6%).

Face ao mês homólogo de 2014, o desemprego diminuiu em junho nos três setores de atividade económica: -3,1% no setor primário, -19,6% no secundário e -11,3% no terciário, com as descidas percentuais mais acentuadas a acontecerem na "fabricação de outros produtos minerais não metálicos" (-23,5%), no "comércio, manutenção, reparação de veículos automóveis e motociclos" (-22,5%) e na "construção" (-22,1%).

Lusa

  • Madonna diz que América nunca desceu tão baixo
    2:12

    Mundo

    No mundo artístico, foram várias as vozes que se levantaram contra Trump, entre elas Madonna. A cantora disse esta quinta-feira em Nova Iorque, a propósito do dia da tomada de posse, que nunca a América desceu tão baixo. Já o ator Matthew McConaughey - que está em Londres - garantiu que não ia perder a cerimónia pela televisão.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida