sicnot

Perfil

Economia

"Irregularidades financeiras" na empresa gestora do metro de Oeiras

Uma auditoria do Tribunal de Contas revelou hoje que a empresa municipal gestora do metro de superfície de Oeiras, SATU, extinta em maio, apresentava "irregularidades financeiras e contabilísticas" e "desconformidades legais".

(SIC/ Arquivo)

(SIC/ Arquivo)

O Sistema Automático de Transportes Urbanos (SATU) de Oeiras foi extinto em maio e o Tribunal de Contas realizou uma auditoria, entre 2008 e 2012, para avaliar os motivos subjacentes a essa decisão, o desempenho da autarquia quanto à preparação e avaliação prévia do projeto e apurar a sustentabilidade financeira da empresa local.

As distorções detetadas, segundo o Tribunal, têm um impacto superior a 20 milhões de euros sobre a situação patrimonial líquida.

De acordo com o documento, a que a Lusa teve acesso, o resultado foi "desfavorável" na sua globalidade, uma vez que "as operações de financiamento das atividades operacionais e de investimento e os ativos tangíveis objeto de auditoria encontram-se afetados por irregularidades financeiras e contabilísticas e por desconformidades legais".

"As demonstrações financeiras da SATU-Oeiras não apresentam, consequentemente, uma imagem verdadeira nem apropriada da situação financeira e não constituem, nesta medida, uma base adequada para efeitos de apuramento da estabilidade orçamental e da dívida pública nos termos do Sistema Europeu de Contas Nacionais e Regionais", lê-se.

Perante as conclusões, o Tribunal de Contas recomenda ao liquidatário do SATU Oeiras "adequar nas demonstrações financeiras, o reconhecimento, apresentação e divulgação das prestações acessórias de capital".

Da mesma forma, recomenda "adequar a classificação dos passivos expressos nas demonstrações financeiras, tendo em conta a exigibilidade de liquidação dos montantes em dívida face às condições contratualmente estabelecidas" e "promover, se necessário, a regularização dos juros pagos no âmbito dos contratos de suprimento, adequando-os à taxa de juro contratualmente estabelecida".

Sugere ainda o "reconhecimento, apresentação e divulgação nas demonstrações financeiras, dos financiamentos com exigibilidade de reembolso".

À Câmara de Oeiras, o Tribunal de Contas recomenda que "na preparação do orçamento municipal e dos documentos de prestação de contas individuais e consolidadas, identifique, avalie e, se necessário, dê adequada expressão contabilística a eventuais obrigações decorrentes da extinção da SATU-Oeiras" em conformidade com a lei.

O presidente da Câmara de Oeiras, Paulo Vistas, e o liquidatário da SATU Oeiras têm agora 180 dias (seis meses) para informar "da sequência dada às recomendações, podendo o Tribunal, se assim o entender, convocar os responsáveis para prestar esclarecimentos".

A SATU Oeiras, da qual eram acionistas a Câmara Municipal e a Teixeira Duarte, decidiram extinguir o metro de superfície precisamente pela sua "inviabilidade financeira".

Na altura da sua extinção, Paulo Vistas assegurou que a Câmara de Oeiras não iria ficar com nenhum encargo e que o prejuízo de 40 milhões de euros seria suportado pelo parceiro privado, estando ainda a ser estudada uma solução para a infraestrutura.

Nos 11 anos de funcionamento, o SATU registou uma média diária de 550 passageiros.

Lusa

  •  Fim do metro de superfície de Oeiras
    3:54

    País

    Onze anos depois, vai ser desativado o monocarril automático que liga Oeiras a Paço d'Arcos. A decisão é do Ministério das Finanças, a Câmara de Oeiras discorda mas respeita. O prejuízo de 40 milhões de euros vai ser pago pelo parceiro privado, a Teixeira Duarte. O SATU é projeto que morre sem ter sido terminado e que foi sempre alvo de muita contestação.

  • Cheias na Grande Lisboa inundaram túneis e estações de Metro
    2:08

    País

    Foram registadas quase 400 ocorrências de inundações esta segunda-feira, a maioria em Lisboa. Nos arredores, Oeiras, Cascais, Sintra e Amadora foram as mais afetadas. Em Lisboa, os túneis do Campo Grande e da Avenida João XXI chegaram mesmo a estar cortados, assim como a Calçada de Carriche. Também várias estações de Metropolitano tiveram de fechar por causa da invasão de água e lama. Foi o caso das estações do Jardim Zoológico e de Chelas.

  • Carro que atropelou adepto encontrado numa garagem na Amadora
    1:51

    Desporto

    O carro que atropelou o adepto da Fiorentina, junto ao Estádio da Luz, está nas mãos da Polícia Judiciária. O automóvel foi encontrado esta terça-feira por uma brigada da PSP na garagem de um casa da Amadora, que pertence a um elemento da claque dos No Name Boys.

  • Avião divergiu para as Lajes devido a discussão a bordo

    País

    Um avião da companhia aérea British Airways divergiu hoje para o aeroporto das Lajes, na ilha Terceira, nos Açores, devido a uma discussão a bordo entre um casal de passageiros e a tripulação, informou hoje a Força Aérea Portuguesa.

  • A SIC foi dar uma volta de bicicleta

    País

    Há 90 anos, cerca de 40 ciclistas partiam do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a primeira etapa da 1.ª Volta a Portugal de Bicicleta. Hoje, um grupo de investigadores repete o percurso, até Setúbal, dando início a uma viagem que pretende incentivar o uso da bicicleta como meio de transporte no dia-a-dia. Um jornalista da SIC segue no pelotão e pode acompanhar a viagem em direto no Facebook da SIC Notícias.

    SIC

  • Manifestações na Venezuela fazem 29 mortos
    1:22
  • Irmã da mulher mais pesada do mundo acusa hospital de mentir

    Mundo

    A irmã da mulher egípcia que se acreditava ser a mais pesada do mundo acusou os médicos de mentirem acerca da sua perda de peso. No entanto, o hospital que realizou a cirurgia bariátrica já respondeu às acusações, defendendo que a mulher pesa agora 172 quilos.

  • A nova mansão de Angelina Jolie

    Mundo

    A atriz Angelina Jolie terá comprado uma mansão que pertenceu ao realizador e produtor de cinema Cecil B. DeMille. A propriedade fica situada em Los Angeles, nos Estados Unidos, e terá sido vendida pelo valor de 23 milhões de euros.