sicnot

Perfil

Economia

Banco estatal chinês é a empresa mais lucrativa do mundo

O banco estatal chinês ICBC (Industrial and Commercial Bank of China) foi a empresa mais lucrativa do mundo em 2014, à frente da norte-americana Apple, indicou hoje a imprensa oficial chinesa, citando a Fortune.

© Jason Lee / Reuters

Pelas contas daquela revista norte-americana, no ano passado, os lucros do ICBC somaram 44.700 milhões de dólares (cerca de 40.670 milhões de euros), mais 5.200 milhões (47.300 milhões de euros) do que a Apple.

Nos dez primeiros lugares da lista, há mais três bancos estatais chineses, entre os quais o Bank of China, que já tem uma agência em Lisboa, e uma sul-coreana (Sansumg).

As restantes quatro (Exxon Mobile, Wells Fargo, Microsoft, e JP Morgan Chase) são norte-americanas.

Revista económica do grupo proprietário da Time e de outras famosas publicações dos Estados Unidos, a Fortune elabora anualmente uma lista das 500 maiores empresas mundiais em termos de vendas ("Global 500"), que inclui uma secção dedicada às mais lucrativas.

A última edição da "Global 500", relativa ao ano passado e divulgada também hoje na imprensa chinesa, volta a ser encabeçada pela cadeia norte-americana Wal-Mart, cujas receitas somaram 485.650 milhões de dólares (441.900 milhões de euros) em 2014.

Entretanto, a Sinopec (China Petrochemical Corp) ascendeu ao 2.º lugar, ultrapassando a holandesa Royal Dutch Shell, que passou para 3.º, e a petrolífera norte-americana Exxon Mobile ocupa o 5.º lugar.

Entre as dez maiores da lista, há mais duas chinesas - China National Petroleum Corp (4.º lugar) e State Grid Corp of China (7.º lugar) - uma britânica, a BP (6.º), uma alemã, a Volkswagen (8.º), uma japonesa, Toyota (9.º), e uma suíça, a Gleencore (10.º).

No conjunto, quase metade das 500 são norte-americanas (128) ou chinesas (106).

Lusa

  • Dissidente chinês Ai Weiwei recupera passaporte

    Mundo

    O artista e ativista chinês Ai Weiwei recuperou o passaporte que lhe foi retirado pelas autoridades chinesas há mais de quatro anos. Conhecido por ser um dissidente, Ai Weiwei publicou uma fotografia nas redes sociais onde mostra que finalmente pode sair da China.

  • Sporting de Braga eliminado da Liga Europa
    2:01
  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.