sicnot

Perfil

Economia

PGR e PJ negam receção de queixa contra Montepio

A Procuradoria Geral da República e Polícia Judiciária negam ter recebido qualquer do Banco de Portugal contra o Montepio Geral. Também o presidente do banco desmente ser alvo de queixa. O jornal Público noticiava hoje que o banco central tinha apresentado uma queixa contra o Montepio, depois de detetar falhas no controlo de operações financeiras que o supervisor considera suspeitas.

Arquivo SIC

De acordo com o diário, em causa estão movimentos transnacionais, que podem indiciar crimes de branqueamento de capitais, com origem no Finibanco Angola, detido pelo Montepio Geral. O banco não terá comunicado as transações entre os dois países, procedimento exigido por lei.

A denúncia, feita pelo regulador, teerá chegado ao Ministério Público no final de abril, acrescentava o jornal.

Contudo, "até ao momento, não deu entrada na Procuradoria-Geral da República qualquer expediente com o teor referido", refere uma nota enviada à SIC pela PGR.

Fonte da PJ garantiu também à SIC não ter recebido comunicação do Banco de Portugal relacionada com o Montepio.

Entretanto, o até agora presidente do banco Tomás Correia desmentiu também ser alvo de queixa em declarações aos jornalistas.

Ontem, Tomás Correia foi substituído por José Félix Morgado na liderança do Montepio. A mudança deverá ser confirmada no próximo mês, em Assembleia Geral.

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.