sicnot

Perfil

Economia

Passos Coelho diz que floresta pode ser decisiva para economia do Pinhal Interior

O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, defendeu hoje, na Sertã, que "a fileira florestal pode ser decisiva" para o crescimento económico e fixação de pessoas naquela região do distrito de Castelo Branco.

Lusa

Pedro Passos Coelho falava, hoje à tarde, na sessão de inauguração do Centro de Inovação e Competências da Floresta, (SerQ), na Zona Industrial da Sertã, instituição que, além de assumir grande importância para os produtores e empresas florestais que já estão instaladas ali, também "pode atrair produtores, empresários e empresas" a "esta região do Pinhal Interior", acredita o chefe do Governo.

Resultado de uma parceria entre a Câmara daquela vila, a Universidade de Coimbra (UC) e o Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), o SerQ demorou cerca de 14 meses a construir e envolveu um investimento da ordem dos 1,2 milhões de euros, recordou Passos Coelho, considerando que "o mais fácil já foi feito".

Agora, "o que é importante é que, a partir deste compromisso entre estas instituições" - Câmara da Sertã, UC e LNEC -, se possa "acrescentar valor a todos aqueles que trabalham nesta fileira", apelou.

"Já sabemos que tudo o que envolve a floresta não depende apenas de inovação, depende também de um bom ordenamento do nosso território, depende da prevenção que soubermos fazer para preservar este recurso indispensável a toda esta região", advertiu Passos Coelho.

"Precisamos também de conseguir dar expressão a tudo aquilo que significa manter a boa limpeza destas florestas, com o aproveitamento crescente de todo o material lenhoso" para "a produção industrial e para preservar a floresta e impedir que ela arda mais facilmente", o que também "depende da investigação e da inovação que se possa fazer", sublinhou o primeiro-ministro.

Mas o SerQ não vai apenas "acrescentar valor" às unidades existentes, ligadas ao setor da floresta ou a instalar na região, ele pode também "acrescentar valor a outras economias", porque pode também "vender inovação e investigação", acredita Passos Coelho.

Na sua intervenção, o reitor da UC, João Gabriel Silva, fez questão de dirigir um "agradecimento público" ao primeiro-ministro pela "intervenção direta" que teve na criação de "uma figura jurídica própria para as instituições de ensino superior", até agora sujeitas às regras gerais da administração pública.

"Foi das melhores coisas que este governo fez" e por "intervenção direta do primeiro-ministro", sustentou João Gabriel Silva, afirmando que nem sempre está de "acordo com o governo" e que o tem "criticado diversas vezes".

Na sessão também intervieram os presidentes do LNEC, Carlos Brito Pina, da Câmara da Sertã, José Farinha Nunes, e do SerQ, Paulo Farinha Luís.

Após a sessão, depois de ter visitado as instalações do SerQ, Pedro Passos Coelho ouviu cantarem-lhe os parabéns (completa hoje 51 anos de idade), à volta de um bolo de aniversário e espumante.

Lusa