sicnot

Perfil

Economia

Cazaquistão passa a integrar a Organização Mundial do Comércio

O Cazaquistão tornou-se esta segunda-feira o 162º membro da Organização Mundial do Comércio (OMC) após cerca de 20 anos de negociações, divulgou a instituição.

O Cazaquistão, uma antiga república soviética na Ásia Central, solicitou a adesão em janeiro de 1996. (Arquivo)

O Cazaquistão, uma antiga república soviética na Ásia Central, solicitou a adesão em janeiro de 1996. (Arquivo)

© Shamil Zhumatov / Reuters

A adesão do país à organização foi aprovada numa reunião do Conselho Geral, órgão executivo da OMC, após o que se seguiu uma cerimónia em que o diretor-geral da OMC, o brasileiro Roberto Azevêdo, e o Presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbaiev, classificaram o dia como "histórico"

"Hoje é um dia realmente histórico", disse Nazarbaiev na sua intervenção perante o plenário do Conselho Geral.

Na mesma linha, Roberto Azevêdo disse que a data é "histórica" para o Cazaquistão e para a organização porque, destacou, "a meta da OMC em se tornar global fica mais próxima".

O Cazaquistão, uma antiga república soviética na Ásia Central, solicitou a adesão em janeiro de 1996, tendo negociado durante anos a adequação das taxas de importação e exportação e outros impedimentos comerciais aos acordos da OMC.

Criada em 1995 com o objetivo de supervisionar e liberalizar o comércio internacional, a OMC surgiu oficialmente a partir do Acordo de Marraquexe, que substituiu o Acordo Geral de Tarifas e Comércio (GATT), que começou em 1948.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Cenário mais estável no Sardoal
    0:55

    País

    O presidente da Câmara do Sardoal, Miguel Borges, disse esta manhã que a situação está mais calma. No entanto, o autarca pede que não se desmobilizem os meios porque a situação pode mudar de forma imprevisivel. Miguel Borges alertou ainda para o cansaço dos bombeiros e agentes da Proteção Civil.

  • Detida no Brasil portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos
    3:04

    Mundo

    A Polícia do Rio de Janeiro deteve uma portuguesa acusada de várias burlas nos últimos 20 anos. Ana Resende fazia-se passar por funcionária do consulado e prometia vistos e outros documentos para tirar dinheiro das vítimas. Esta é a terceira vez que a polícia brasileira detém a portuguesa por acusações de burla.