sicnot

Perfil

Economia

Reserva Federal deixa taxas de juro inalteradas apesar dos avanços no emprego

A Reserva Federal, banco central norte-americano, decidiu hoje deixar as suas taxas de juro inalteradas e próximas de zero, apesar de assinalar uma "melhoria" do mercado de trabalho nos Estados Unidos.

Reuters

Após uma reunião do comité de política monetária, em Washington, a Reserva Federal (Fed) considerou que a recuperação no emprego é "sólida", mas adiantou que ainda é necessário esperar antes de mudar a sua política monetária, com as taxas de juro muito baixas desde 2008 para apoiar a recuperação económica.

"O mercado laboral continuou a melhorar com ganhos sólidos e um declínio do desemprego", referiu a Fed no comunicado divulgado no final da reunião, muito idêntico ao texto que saiu da reunião de junho.

A taxa de desemprego baixou para 5,3% em junho, o nível mais baixo desde abril de 2008.

A atividade económica nos Estados Unidos registou uma "expansão moderada", notou a Fed, que assinalou também que a inflação continua "abaixo" do seu objetivo de uma taxa anual próxima de 2%.

O banco central norte-americano referiu que as exportações norte-americanas, penalizadas pela valorização do dólar, continuam "fracas", o mesmo acontecendo com o investimento das empresas.

Neste comunicado, a Fed não dá sinais claros sobre o momento da subida das taxas de juro, muito aguardado pelos mercados.

A presidente da Reserva Federal, Janet Yellen, afirmou em várias ocasiões que é favorável a uma subida das taxas de juro até ao final do ano, sem precisar quando. Muitos analistas têm antecipado que essa subida poderá ocorrer já na próxima reunião do comité de política monetária da Fed, em setembro.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras