sicnot

Perfil

Economia

Petrobras recebe de volta 18,36 milhões de euros desviados em subornos sobre contratos

A Petrobras anunciou ter recebido esta sexta-feira 69 milhões de reais (18,36 milhões de euros) devolvidos de contas bancárias na Suíça, após terem sido desviados com subornos recebidos por um ex-administrador sobre contratos da empresa.

No último mês de maio, a Petrobras recebeu 157 milhões de reais (41,77 milhões de euros) relativos a subornos desviados de contratos. (Arquivo)

No último mês de maio, a Petrobras recebeu 157 milhões de reais (41,77 milhões de euros) relativos a subornos desviados de contratos. (Arquivo)

Leo Correa / AP

Outros 17,9 milhões de reais (4,76 milhões de euros) também já foram repatriados das contas do ex-administrador da Petrobras Pedro Barusco, mas continuam à disposição da Justiça para indenizar outras possíveis vítimas que sejam identificadas até o fim do processo.

A devolução do dinheiro à Petrobras foi oficializada num evento no Rio de Janeiro, com a presença do presidente da empresa, Aldemir Bendine, que afirmou que a companhia tem a confirmação de que irá receber mais um montante da repatriação, cujo valor ainda está a ser calculado.

No último mês de maio, a Petrobras recebeu 157 milhões de reais (41,77 milhões de euros) relativos a subornos desviados de contratos.

A empresa estima que as perdas com corrupção cheguem a 6.200 milhões de reais (1.650 milhões de euros) e Bendine afirmou ter a expetativa de recuperar todo esse valor.

Lusa

  • Governo enfrenta vaga de contestação
    2:35

    Economia

    O Governo enfrenta uma onda de contestação. Guardas prisionais, procuradores, professores, médicos e enfermeiros descontentes ameaçam com greves nos diferentes setores, já nos meses de março e abril.

  • Proposta criação de 77 mil empregos através de uma descida da TSU
    1:23
  • Bastonário dos médicos diz que a classe deixou de acreditar no ministro da Saúde
    2:24

    País

    Desde Março do ano passado que perto de mil médicos especialistas aguardam colocação nos hospitais. O concurso, prometido várias vezes pelo ministro da Saúde, não abriu ainda por falta de autorização do Ministério das Finanças. Amanhã, quinta-feira, um grupo destes médicos vai à Assembleia da República entregar uma carta que entretanto já seguiu para os ministros da Saúde e Finanças.

  • 296 mortos em 2 dias de bombardeamentos em Ghouta Oriental
    2:16
  • Tiroteio na Florida foi o 18.º registado em meio escolar nos EUA desde janeiro
    1:25