sicnot

Perfil

Economia

Estado vende tecnológica de comunicações militares a britânicos por 19 M€

O Estado vendeu a sua participação de 43,09% na empresa de tecnologia militar EID à britânica Cohort PLC por 19 milhões de euros, uma operação que envolveu também os restantes acionistas da empresa.

EID

Em comunicado, a Empresa de Investigação e Desenvolvimento de Electrónica (EID), sob tutela do Ministério da Defesa, anunciou que "foi concluído o processo de alienação de parte do capital social da EID com a empresa inglesa Cohort PLC, que apresentou proposta para aquisição de 99,98% do capital social da empresa".

Ou seja, a empresa britânica Cohort vai pagar 19 milhões de euros pela quase totalidade do capital detido maioritariamente pela Empordef, 'holding' do Estado das indústrias de Defesa (38,57%), e ainda pelo IAPMEI (4,52%), Efacec (27,24%) e 29,65% pela alemã Rohde & Schwarz.

A EID refere que esta venda da empresa "representa um valor total para os acionistas de 32 milhões de euros", dos quais 2,6 milhões de euros em distribuição de dividendos, 10,4 milhões através da redução de capital e 19 milhões como proposta financeira da Cohort.

"Esta proposta vai ser remetida às tutelas (Defesa e Finanças), as quais, após parecer da UTAM (Unidade Técnica de Acompanhamento ao Setor Empresarial do Estado), se pronunciarão para decisão final, estimando-se que o processo se conclua durante o mês de Setembro de 2015", adianta o comunicado.

A Cohort, também em comunicado enviado hoje, indica que, no ano passado, a EID obteve um volume de negócios de 14,4 milhões de euros e um lucro de 1,4 milhões de euros antes de impostos.

No final de março, segundo a empresa inglesa, a EID tinha um volume de negócios de 12,4 milhões de euros e uma carteira de encomendas de 34,2 milhões de euros.

A EID, especialista em comunicações militares navais e em terreno, emprega 138 pessoas e ganhou no início do ano um contrato de 15 milhões de euros para fornecer sistemas integrados de controlo de comunicações às marinhas portuguesa, holandesa e belga.

O ativo bruto da EID a 31 de dezembro passado era de 25,5 milhões de euros.

O presidente executivo da Cohort, Andrew Thomis, disse que esta aquisição era "um importante passo" para a companhia, uma vez que a EID dá ao grupo a "grande capacidade de fornecer sistemas de comunicações que já demonstraram ser um sucesso em vários países".

Lusa

  • Obras no Miradouro de São de Pedro de Alcântara não foram a concurso
    2:50

    País

    As obras no Miradouro de São Pedro de Alcântara, em Lisboa, arrancaram esta segunda-feira. A intervenção foi adjudicada à construtora Teixeira Duarte sem concurso público. A autarquia justifica esta decisão com o caráter urgente da obra, argumento que não consta do relatório do Laboratório Nacional de Engenheria Civil, a que a SIC teve acesso.

  • Rajadas de vento em Moscovo atingem os 110 km/hora
    0:57

    Mundo

    A passagem de uma tempestade por Moscovo fez pelo menos 11 mortos e mais de 50 feridos. Os ventos fortes, que chegaram aos 110 km/hora, destruíram carros e telhados e provocaram atrasos nos transportes. Na região de Stavropol, mais de 60 mil pessoas foram retiradas de casa por perigo de cheias.