sicnot

Perfil

Economia

Procura mundial de crude cresce ao ritmo mais rápido dos últimos 5 anos

A procura mundial de petróleo está a crescer ao ritmo mais rápido dos últimos cinco anos, apoiada pela recuperação económica e pelos baixos preços do crude, o que compensa o aumento da oferta, anunciou hoje a Agência Internacional da Energia.

Plataforma petrolífera no Mar do Norte.

Plataforma petrolífera no Mar do Norte.

© POOL New / Reuters

No seu relatório mensal, a Agência Internacional da Energia (AIE) afirma que a procura irá crescer 1,6 milhões de barris diários este ano, mais 260.000 barris do que os calculados no seu último relatório, o que supõe "o maior aumento em cinco anos".

Apostando por uma manutenção da recuperação da economia, a AIE calcula que em 2016 a procura será de mais 1,4 milhões de barris diários, 410.000 mais do que os calculados até agora.

Em paralelo, a Agência considera que haverá paulatinamente um ajuste à oferta, a razão pela qual os preços do crude caíram nos últimos meses e que provocou uma redução na extração, em particular nos Estados Unidos.

Em julho já se notou uma queda na oferta, menos 600.000 barris diários, sobretudo graças à queda de produção nos países não membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

A AIE assinalou que o equilíbrio entre a oferta e a procura não será alcançado antes do final do próximo ano devido a uma política dos países da OPEP de manter uma produção elevada, reduzindo os preços.

O barril situa-se atualmente abaixo dos 50 dólares, bastante longe dos 115 dólares de junho de 2014.

A manter-se o atual ritmo de produção na OPEP, cerca de 31,7 milhões de barris diários em 2016, a oferta será na segunda metade de este ano superior à procura em 1,4 milhões de barris, o que colocará à prova as capacidades mundiais de armazenamento de crude, assinalou a AIE.

A Agência explicou que as suas previsões não têm em conta um possível aumento da produção iraniana como consequência do levantamento das sanções internacionai,s depois de ter assinado um acordo sobre a sua política de energia nuclear.

Lusa

  • O encontro emocionado de Marcelo com a mãe de uma das vítimas dos fogos
    0:30
  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Houve "erros defensivos que normalmente a equipa não comete"
    0:38

    Desporto

    No final do jogo, quando questionado sobre a ausência de Casillas no onze do FC Porto, Sérgio Conceição referiu que a equipa apresentada era aquela que lhe oferecia garantias. Quanto ao jogo, o treinador portista reconheceu que a equipa cometeu vários erros defensivos.

  • "Cometemos erros e há que tentar corrigi-los"
    0:41

    Desporto

    No final do jogo em Leipzig, Iván Marcano desvalorizou a ausência de Iker Casillas e entendeu que o facto de o guarda-redes ter ficado no banco não teve impacto na equipa. Já sobre o jogo, o central espanhol garantiu que não correu da forma como os jogadores esperavam.

  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.