sicnot

Perfil

Economia

Procura mundial de crude cresce ao ritmo mais rápido dos últimos 5 anos

A procura mundial de petróleo está a crescer ao ritmo mais rápido dos últimos cinco anos, apoiada pela recuperação económica e pelos baixos preços do crude, o que compensa o aumento da oferta, anunciou hoje a Agência Internacional da Energia.

Plataforma petrolífera no Mar do Norte.

Plataforma petrolífera no Mar do Norte.

© POOL New / Reuters

No seu relatório mensal, a Agência Internacional da Energia (AIE) afirma que a procura irá crescer 1,6 milhões de barris diários este ano, mais 260.000 barris do que os calculados no seu último relatório, o que supõe "o maior aumento em cinco anos".

Apostando por uma manutenção da recuperação da economia, a AIE calcula que em 2016 a procura será de mais 1,4 milhões de barris diários, 410.000 mais do que os calculados até agora.

Em paralelo, a Agência considera que haverá paulatinamente um ajuste à oferta, a razão pela qual os preços do crude caíram nos últimos meses e que provocou uma redução na extração, em particular nos Estados Unidos.

Em julho já se notou uma queda na oferta, menos 600.000 barris diários, sobretudo graças à queda de produção nos países não membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

A AIE assinalou que o equilíbrio entre a oferta e a procura não será alcançado antes do final do próximo ano devido a uma política dos países da OPEP de manter uma produção elevada, reduzindo os preços.

O barril situa-se atualmente abaixo dos 50 dólares, bastante longe dos 115 dólares de junho de 2014.

A manter-se o atual ritmo de produção na OPEP, cerca de 31,7 milhões de barris diários em 2016, a oferta será na segunda metade de este ano superior à procura em 1,4 milhões de barris, o que colocará à prova as capacidades mundiais de armazenamento de crude, assinalou a AIE.

A Agência explicou que as suas previsões não têm em conta um possível aumento da produção iraniana como consequência do levantamento das sanções internacionai,s depois de ter assinado um acordo sobre a sua política de energia nuclear.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.