sicnot

Perfil

Economia

Desconvocada greve dos seguranças aeroportuários

O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) desconvocou a greve dos trabalhadores da Securitas marcada para sábado nos aeroportos do Porto, Funchal e Porto Santo, depois de a empresa ter-se comprometido a satisfazer as suas reivindicações.

© Hugo Correia / Reuters

Os trabalhadores da Securitas naqueles aeroportos convocaram na terça-feira uma greve para sábado, contra a recusa da empresa em pagar o trabalho suplementar e feriados como previsto no Contrato Coletivo de Trabalho.

A delegada do SITAVA Charlene Dias adiantou nesse dia que a "empresa já não paga feriados nem horas extra desde o início do ano e recusa-se a entrar em acordo com os trabalhadores ou com as organizações sindicais".

Segundo um comunicado do SITAVA agora divulgado, "a empresa assumiu o cumprimento das suas "obrigações relativas ao trabalho suplementar, trabalho noturno e trabalho em dia feriado".

"A Securitas assume também que situações que não foram contempladas até agora devido a erro ou omissão no processamento salarial serão corrigidas no mês em curso", lê-se no comunicado.

Face a essa decisão, os trabalhadores entenderam que "estão reunidas as condições para que se desconvoque a greve".

Numa nota enviada à agência Lusa, a Securitas congratula-se com esta decisão e "reitera a sua total disponibilidade, empenho e interesse na salvaguarda da segurança e condições de trabalho de todos os seus colaboradores e reafirma a sua postura de abertura e diálogo em prol da sustentabilidade do setor".

Lusa

  • Lesados do Banif confiaram "num sistema que os aldrabou"
    2:00
  • "Octávio Machado foi a terceira escolha" para o cargo
    2:01
  • O que resta do navio de salvamento mais famoso de Portugal?
    15:26
  • "Temos de melhorar o sistema de prevenção e combate dos incêndios"
    18:07

    País

    O ministro da Agricultura, Luís Capoulas Santos, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias, desta quinta-feira. Em análise esteve o chumbo do PCP na criação de um banco nacional de terras, a reforma da floresta em Portugal, as falhas no sistema de comunicação do SIRESP, a lei da rolha nos bombeiros, a seca no país e ainda a pesca da sardinha, que poderá vir a ser proibida durante 15 anos. 

    Entrevista SIC Notícias

  • Pescadores e restaurantes receiam impacto da proibição da pesca da sardinha
    1:37

    País

    O Conselho Internacional para a Exploração do Mar indicou esta quinta-feira que Portugal e Espanha deveriam ficar 15 anos sem pescar sardinha, para repor os stocks de peixe acima dos níveis de referência. Os pescadores sabem que há menos sardinha no mar do que já houve, mas alertam para o impacto de uma medida deste género, sobretudo para quem tem na faina o seu sustento. Os proprietários dos restaurantes partilham de uma opinião idêntica e veem pela frente consequências sérias se a sardinha for mesmo proibida. 

  • "Sempre me senti em casa em Portugal"
    1:11