sicnot

Perfil

Economia

FMI saúda acordo e insiste no alívio de dívida "insustentável"

A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, saudou hoje o acordo alcançado pelo Eurogrupo para um terceiro resgate à Grécia, mas sublinhou que a dívida do país "é insustentável" e defendeu o seu alívio.

© Christian Hartmann / Reuters

Em comunicado, a dirigente do FMI saudou o "importante passo" que é o acordo de princípio sobre um terceiro plano de ajuda a Atenas, mas argumentou que a Grécia, "por si só, não consegue restaurar a viabilidade da dívida".

"Sou firmemente da opinião de que a dívida da Grécia se tornou insustentável e que a Grécia não pode restaurar a sustentabilidade da dívida unicamente através das suas próprias ações", afirmou Christine Lagarde.

Segundo Lagarde, o acordo hoje firmado, que visa disponibilizar 86 mil milhões de euros à Grécia, inclui um esforço "decisivo e credível das autoridades gregas para restaurar o crescimento sustentável e robusto".

"É essencial que os parceiros europeus da Grécia tenham compromissos concretos (...) para proporcionar um alívio significativo da dívida, que vá além do que foi visto até agora", acrescentou.

Os ministros das Finanças da zona euro chegaram hoje a acordo para um terceiro plano de ajuda à Grécia, no valor de 86 mil milhões de euros.

O primeiro desembolso será de 26 mil milhões de euros, dos quais 10 mil milhões vão estar imediatamente disponíveis numa conta especial do fundo de resgate da eurozona para a recapitalização da banca grega.

Lusa

  • Parabéns! Portugal faz hoje 839 anos

    País

    É dia de cantar os parabéns. Portugal celebra esta quarta-feira 839 anos, depois de a 23 de maio de 1179 o Papa Alexandre III ter emitido a bula "Manifestis Probatum" onde reconhece o território como reino independente.

    SIC

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • Presidente da República apoia reforma "quanto antes" do Tribunal de Contas
    1:13

    País

    O Presidente da República defendeu esta manhã uma reforma do Tribunal de Contas para que se adeque a lei que prevê o controlo das entidades públicas. Para Marcelo Rebelo de Sousa, se a lei der melhores meios de controlo e for de mais rápida aplicação, vai dissuadir casos de má gestão de dinheiros públicos que acabam por resultar em crimes.

  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.