sicnot

Perfil

Economia

Hillary Clinton contra exploração petrolífera no Alasca

Hillary Clinton, candidata à nomeação democrata para as presidenciais dos Estados Unidos, manifestou terça-feira a sua oposição à exploração petrolífera no Ártico, um dia após Barack Obama ter dado luz verde à Shell para fazer perfurações exploratórias.

"O Ártico é um tesouro único. Não podemos correr o risco de fazer perfurações", escreveu na rede social Twitter a antiga secretária de Estado no primeiro mandato presidencial de Obama.

"O Ártico é um tesouro único. Não podemos correr o risco de fazer perfurações", escreveu na rede social Twitter a antiga secretária de Estado no primeiro mandato presidencial de Obama.

© David Becker / Reuters

"O Ártico é um tesouro único. Não podemos correr o risco de fazer perfurações", escreveu na rede social Twitter a antiga secretária de Estado no primeiro mandato presidencial de Obama.

No início de maio, o Governo dos Estados Unidos autorizou a Shell a iniciar perfurações exploratórias de hidrocarbonetos no Oceano Ártico, ao largo do Alasca.

Na segunda-feira, o Governo deu ao grupo petrolífero anglo-holandês a autorização que faltava.

As associações de proteção do ambiente contestaram a decisão, destacando os elevados riscos para os recursos do oceano naquela parte remota do mundo.

A administração de Obama assegura que foi feito um "alto padrão de exigências" para proteger o ecossistema da região, assim como os meios de subsistência e tradições culturais dos seus habitantes.

Hillary Clinton tem apoiado as medidas anunciadas pelo Presidente Barack Obama na luta contra as alterações climáticas.

Mas a candidata -- grande favorita nas primárias do lado dos democratas -- continua a ser evasiva sobre a questão ambiental mais sensível e que Barack Obama deve decidir: a construção do oleoduto Keystone XL.

O oleoduto vai permitir o transporte de petróleo das areias betuminosas de Alberta, Canadá, para o centro dos Estados Unidos, Nebraska, para chegar às refinarias do Golfo do México.

O Presidente norte-americano deve visitar o Alasca no final de agosto.

"Vou lá porque os habitantes do Alasca estão na linha da frente de um dos nossos maiores desafios do nosso século: as alterações climáticas", explicou.

"No Alasca, o gelo está a derreter. A caça e a pesca de que as pessoas vivem estão ameaçadas", afirmou Obama, num vídeo divulgado pela Casa Branca.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC