sicnot

Perfil

Economia

Hillary Clinton contra exploração petrolífera no Alasca

Hillary Clinton, candidata à nomeação democrata para as presidenciais dos Estados Unidos, manifestou terça-feira a sua oposição à exploração petrolífera no Ártico, um dia após Barack Obama ter dado luz verde à Shell para fazer perfurações exploratórias.

"O Ártico é um tesouro único. Não podemos correr o risco de fazer perfurações", escreveu na rede social Twitter a antiga secretária de Estado no primeiro mandato presidencial de Obama.

"O Ártico é um tesouro único. Não podemos correr o risco de fazer perfurações", escreveu na rede social Twitter a antiga secretária de Estado no primeiro mandato presidencial de Obama.

© David Becker / Reuters

"O Ártico é um tesouro único. Não podemos correr o risco de fazer perfurações", escreveu na rede social Twitter a antiga secretária de Estado no primeiro mandato presidencial de Obama.

No início de maio, o Governo dos Estados Unidos autorizou a Shell a iniciar perfurações exploratórias de hidrocarbonetos no Oceano Ártico, ao largo do Alasca.

Na segunda-feira, o Governo deu ao grupo petrolífero anglo-holandês a autorização que faltava.

As associações de proteção do ambiente contestaram a decisão, destacando os elevados riscos para os recursos do oceano naquela parte remota do mundo.

A administração de Obama assegura que foi feito um "alto padrão de exigências" para proteger o ecossistema da região, assim como os meios de subsistência e tradições culturais dos seus habitantes.

Hillary Clinton tem apoiado as medidas anunciadas pelo Presidente Barack Obama na luta contra as alterações climáticas.

Mas a candidata -- grande favorita nas primárias do lado dos democratas -- continua a ser evasiva sobre a questão ambiental mais sensível e que Barack Obama deve decidir: a construção do oleoduto Keystone XL.

O oleoduto vai permitir o transporte de petróleo das areias betuminosas de Alberta, Canadá, para o centro dos Estados Unidos, Nebraska, para chegar às refinarias do Golfo do México.

O Presidente norte-americano deve visitar o Alasca no final de agosto.

"Vou lá porque os habitantes do Alasca estão na linha da frente de um dos nossos maiores desafios do nosso século: as alterações climáticas", explicou.

"No Alasca, o gelo está a derreter. A caça e a pesca de que as pessoas vivem estão ameaçadas", afirmou Obama, num vídeo divulgado pela Casa Branca.

Lusa

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria" é a Reportagem Especial de hoje.

  • Fogo na Sertã alastrou aos concelhos de Mação e Proença-a-Nova
    2:37

    País

    Mais de 700 bombeiros combatem o incêndio que começou este domingo na Sertã e, durante a noite foi empurrado pelo vento para outros dois concelhos. As chamas atingiram as zonas de Mação e de Proença-a-Nova, onde os habitantes dizem que há várias casas destruídas pelo fogo. Esta manhã, chegaram dois aviões espanhóis para ajudar a controlar as chamas.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34
  • Margem mínima de mil votos obriga a negociações intensas em Timor-Leste

    Mundo

    A Fretilin venceu sem maioria absoluta as lesgislativas para o VII Governo constitucional de Timor-Leste. De acordo com os dados oficiais, o partido de Mari Alkatiri obteve perto de 170 mil votos e conquistou 23 deputados. Já o partido de Xanana Gusmão que tinha vencido há cinco anos, ficou em segundo com 167 mil votos e 22 lugares no parlamento, num total de 65.