sicnot

Perfil

Economia

Juros da dívida descem em todos os prazos no dia em que Portugal volta aos mercados

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje a descer a dois, cinco e dez anos, no dia em que Portugal regressa aos mercados para colocar até 1.000 milhões de euros de dívida a curto prazo.

Francisco Seco


Cerca das 09:30 em Lisboa, os juros da dívida portuguesa a dois anos estavam a cair para 0,374%, abaixo dos 0,375% da sessão anterior, depois de a 08 de julho terem batido o máximo (0,807%) desde outubro.

O atual mínimo de sempre dos juros a dois anos, de 0,013%, foi atingido a 13 de abril passado.

Os juros no prazo dos cinco anos também caíam para 1,201%, contra 1,233% na terça-feira.

A dez anos, os juros estavam igualmente a descer de 2,484% na terça-feira para 2,454% hoje, depois de terem subido até aos 3,253% a 15 de junho último, um máximo desde meados de outubro de 2014.

O atual mínimo de sempre é de 1,560% e foi registado a 13 de março passado.

Os juros de Espanha, por sua vez, caíam em todos os prazos.

A dois anos, os juros da dívida soberana de Espanha negociavam-se em 0,128%, a cinco anos transacionavam-se a 0,935% e a dez anos situavam-se em 1,980%.

Na Itália, os juros da dívida caíam em todos os prazos, enquanto na Irlanda subiam a dois anos para -0,041%, a cinco caíam para 0,324% e a dez anos subiam para 1,271%.

Portugal regressa hoje aos mercados e pretende encaixar até 1.000 milhões de euros nos leilões de Bilhetes do Tesouro a três e a 11 meses.

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) vai realizar esta manhã dois leilões de Bilhetes do Tesouro, um com maturidade em novembro deste ano e outro que vence em julho de 2016, sendo o montante indicativo global entre os 750 e os 1.000 milhões de euros.

Os últimos leilões de Bilhetes do Tesouro nestes prazos realizaram-se em junho, altura em que o Tesouro emitiu 200 milhões de euros na linha a três meses a uma taxa de juro média de 0,044% e emitiu também 550 milhões de euros em títulos a 11 meses com juros de 0,159%.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.