sicnot

Perfil

Economia

Autarca de Peniche garante que há margem para alargar captura da sardinha

Autarca de Peniche garante que há margem para alargar captura da sardinha

Vários autarcas do litoral do país e representantes dos pescadores do cerco insistem no apelo ao Governo para que seja alargado o prazo para a captura da sardinha. É o resultado de uma reunião que decorreu durante toda a manhã em Peniche. O apelo foi repetido pela voz do presidente da Câmara de Peniche, António José Correia.

Em causa estão as quotas da sardinha que já acabaram para uma das 11 organizações de produtores. Assim, 24 embarcações de Peniche e Nazaré estão a partir deste sábado proibidas de apanhar sardinha.

A proibição pode mesmo ser alargada já nas próximas semanas às restantes embarcações dos outros portos do país.

Os pescadores pedem um aumento das quotas ou um alargamento do prazo para minimizar as dificuldades. A sardinha é a principal fonte de sustento e as outras espécies como a cavala ou o carapau não chegam para garantir o rendimento dos pescadores.

No final da reunião desta manhã entre autarcas e representantes dos pescadores, o presidente da Câmara de Peniche criticou a intransigência do Governo. António José Correia voltou a pedir que a ministra da Agricultura alargue o prazo para a captura da sardinha. O autarca de Peniche garante que há margem para isso.

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07