sicnot

Perfil

Economia

Maior queda do ano na Bolsa de Tóquio, arrastada por Xangai

A bolsa de Tóquio fechou a sessão de hoje em forte baixa, caindo 4,6%, a maior queda do ano, arrastada por um novo dia de fortes perdas em Xangai e pela valorização do iene relativamente ao dólar.

© Reuters Staff / Reuters

O principal índice, o Nikkei, fechou a perder 895,15 pontos (4,61%), cotando-se nos 18.540,68 pontos, enquanto o Topix, o segundo indicador da praça financeira de Tóquio, a recuar 92,14 pontos (5,86%), até aos 1.480.87 pontos.

A bolsa de Tóquio abriu no "vermelho" arrastada pelas perdas de sexta-feira em Wall Street e nas principais bolsas europeias, e pelo fortalecimento da moeda japonesa face ao dólar, segundo analistas locais.

Contudo, durante a segunda parte das negociações, a queda agudizou-se e chegou a tocar os 1.000 pontos (5%), com o mercado financeiro de Tóquio a ver-se contaminado pelo nervosismo gerado pela nova "segunda-feira negra" na bolsa de Xangai que hoje chegou a registar perdas superiores a 8%.

A meio da sessão, o Índice Composite de Xangai chegou mesmo a "afundar" mais de 8,45% até aos 3.211,2 pontos.

O novo dia de pânico na bolsa de Xangai continua a alimentar as dúvidas sobre a evolução da economia chinesa, após a recente depreciação do yuan e apesar das medidas anunciadas por Pequim.

A bolsa de Tóquio prolongou assim o "vermelho" da semana passada, quando cumpriu quatro dias consecutivos de perdas devido sobretudo à situação na China, o seu principal parceiro comercial.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.