sicnot

Perfil

Economia

Bolsa de Xangai em alta após medidas do banco central

A bolsa de Xangai está hoje a recuperar depois de dois dias consecutivos de pesadas perdas. A saída do vermelho surge depois da descida das taxas de juro por parte do Banco Popular da China. Entretanto, no Japão, o índice Nikkei fechou a subir 3,20%.

© Jason Lee / Reuters

A meio da sessão, o Índice Composite de Xangai subia 23,79 pontos (0,80%), cotando-se nos 2,988.76 pontos, numa manhã volátil em que chegou a perder 3,85% e a valorizar até 1,24%.

O principal indicador da bolsa de Shenzhen, a segunda praça financeira da China, recuava ligeiramente (4,02 pontos ou 0,23%), até aos 1,745.05 pontos.

Depois de ter "afundado" 8,49% - na maior queda em oito anos no volátil mercado de capitais da China - na "segunda-feira negra", a bolsa de Xangai manteve a tendência de forte baixa, tendo encerrado a sessão de terça-feira a perder 7,63%.

Hoje saiu do "vermelho" na abertura beneficiando das medidas anunciadas, esta terça-feira, pelo Banco Popular da China, depois do encerramento dos mercados.

O banco central chinês anunciou uma nova baixa das taxas de juro - pela quinta vez desde novembro último - reduzindo ainda mais os rácios das reservas obrigatórias dos bancos, num aparente esforço para conter a queda das bolsas da segunda maior economia mundial.

A partir de hoje, a taxa de empréstimos a um ano e a taxa de depósitos a um ano vão diminuir em 25 pontos base, reduzindo-se para 4,60% e 1,75%, respetivamente, segundo divulgou a entidade financeira na sua página oficial na Internet.

Em paralelo, o banco central deu conta do corte em 50 pontos base do rácio das reservas mínimas obrigatórias impostas a determinadas instituições financeiras.

Ainda no mesmo dia, o Banco Popular da China fez saber que injetou 150.000 milhões de yuan (cerca de 20,3 mil milhões de euros) para aumentar a liquidez do sistema financeiro do país.

Bolsa de Tóquio fecha a ganhar mais de 3% após seis sessões no "vermelho"

A bolsa de Tóquio encerrou hoje em forte alta, com o principal índice, o Nikkei, a ganhar 579,73 pontos, ou 3,26%, cotando-se nos 18.386,43 pontos, após seis sessões consecutivas no "vermelho".

Também o segundo indicador, o Topix, fechou a valorizar 46,32 pontos, ou 3,23%, até aos 1.478,97 pontos.

Com Lusa

  • Lisboa e praças europeias voltam a subir
    1:21

    Economia

    Depois da pior sessão dos últimos sete anos, a bolsa de Lisboa está hoje a recuperar do impacto da crise na China. Esta manhã subia pouco mais de 4%. Ontem, as cotadas nacionais perderam quase 3 mil milhões de euros.

  • Bolsa chinesa continua em derrocada
    1:23

    Economia

    A bolsa chinesa continua em derrocada depois do segundo dia de perdas significativas. Numa altura em que as autoridades chinesesas tentam de tudo para acalmar a derrocada, a praça de Xangai fechou a cair mais de 7,5%, enquanto no resto do mundo já há sinais de recuperação.

  • Costa de Metro de Odivelas para Lisboa para relembrar corrida entre burro e Ferrari
    2:55

    Autárquicas 2017

    António Costa começou hoje o dia de campanha em Odivelas, para uma viagem de Metro até Lisboa, em que recordou a célebre corrida entre um burro e um Ferrari que protagonizou em 1993 quando foi canditado do PS à Câmara de Loures. Foi nesta cidade, onde ontem à noite, que desferiu um violento ataque a Pedro Passos Coelho, acusando-o de transformar o PSD num partido que não é digno de um Estado democrático.

  • O aeroporto de Beja, um "elefante branco" na planície alentejana
    4:33
  • Paciente há 15 anos em estado vegetativo consegue seguir objetos e mexer a cabeça

    Mundo

    Um homem de 35 anos, que ficou em estado vegetativo após um acidente de viação há 15 anos, deu sinais de consciência depois de lhe ter sido aplicada uma nova técnica de estimulação nervosa. Cirurgiões implantaram no paciente um pequeno aparelho que estimula o nervo vago, responsável pela ligação nervosa entre o cérebro e o resto do corpo. A intervenção aconteceu em França e a descoberta foi publicada na revista científica Current Biology.