sicnot

Perfil

Economia

Polícia chinesa interroga 11 pessoas por alegadas operações ilegais na bolsa

A polícia chinesa convocou 11 pessoas, incluindo um jornalista de economia, no âmbito de um inquérito sobre operações ilegais nos mercados bolsistas, noticiaram os 'media' estatais.

© Kim Hong-Ji / Reuters

Depois de as bolsas terem sofrido perdas de 30% desde meados de junho, Pequim anunciou várias medidas para tentar controlar a situação.

As autoridades acusam um jornalista da revista Caijing de ter colaborado com terceiros para fabricar e espalhar informações falsas sobre o comércio de valores mobiliários e mercados de futuros, anunciou a agência Nova China.

Em comunicado, a revista defendeu o jornalista, Wang Xiaolu, mas confirmou que foi intimado pela polícia.

Segundo a AFP, num artigo publicado em julho, Wang escreveu que a autoridade reguladora de valores mobiliários estudava a possibilidade de uma saída dos fundos públicos do mercado.

A Comissão Chinesa de Regulação dos Mercados Financeiros desmentiu a informação e considerou o artigo "irresponsável", mas no início deste mês, a comissão anunciou que a China Securities Finance Corp. (organismo de intervenção nas bolsas em nome do governo) continuaria a ter um papel durante "vários anos", mas só entraria no mercado em caso de volatilidade, o que foi interpretado como um sinal de menor intervenção governamental nos mercados bolsistas.

Segundo a imprensa, oito pessoas que trabalham na empresa financeira Citic Securities também são suspeitas de operações ilegais, incluindo o diretor-geral, Xu Gang. Há ainda dois outros suspeitos ligados à regulação.

Lusa

  • Bolsa chinesa continua em derrocada
    1:23

    Economia

    A bolsa chinesa continua em derrocada depois do segundo dia de perdas significativas. Numa altura em que as autoridades chinesesas tentam de tudo para acalmar a derrocada, a praça de Xangai fechou a cair mais de 7,5%, enquanto no resto do mundo já há sinais de recuperação.

  • Derrocada na bolsa de Xangai
    0:54

    Economia

    Continua o tombo na bolsa chinesa. A praça de Xangai fechou hoje a cair mais de 7,5%. As autoridades chinesesas tentam de tudo para acalmar a derrocada, mas os efeitos são incertos.

  • O poder da linguagem corporal nos tribunais
    9:12
  • Fomos conhecer o novo Samsung S8
    1:42

    Mundo

    Depois da crise dos telemóveis Samsung Note 7 com bateria defeituosa que podia explodir, a marca tinha que lançar um aparelho inovador. O S8 foi anunciado esta quarta-feira em Londres. O repórter da SIC, Lourenço Medeiros, foi ver como é.

    Enviado SIC