sicnot

Perfil

Economia

Incertezas na China penalizam bolsas europeias que seguem em queda

As bolsas europeias seguem hoje a negociar em terreno negativo, com os investidores centrados na situação da China e na incerteza em relação à reunião da Reserva Federal (Fed) de setembro.

(Reuters/Arquivo)

Pelas 08:20 [hora de Lisboa], o Euro Stoxx 50 cedia 1,42% para 3.223,22 pontos, com as principais praças europeias a oscilarem entre as perdas de 1,81% de Paris e de 0,72% de Milão.

As ações em Madrid recuavam 1,28% e em Frankfurt perdiam 1,67%, à mesma hora. A bolsa de Londres desvalorizava 0,94%.

Já em Lisboa, o índice PSI20 mantinha a tendência de abertura da sessão e seguia a perder 1,65% para 5.158,06 pontos.

Os dados negativos da indústria chinesa estarão a pesar sobre o sentimento dos investidores, reforçando os seus receios em relação à segunda economia mundial.

A bolsa de Xangai abriu hoje em baixa e mantinha as perdas e meio da sessão quando o seu índice geral cedia 1,06% (84,27 pontos), após cair mais de 4% durante a manhã.

Durante a manhã, e após se saber que o índice de produção industrial na China continuou a descer em agosto - para 47,3 pontos, pelo sexto mês consecutivo, acentuando o declínio na produção e novas encomendas feitas à segunda maior economia mundial - , o Índice Composite de Xangai chegou a cair 4%, tendo depois moderado as perdas.

As quedas acentuadas nas bolsas chinesas na semana passada provocaram um efeito "tsunami", que se estendeu aos mercados financeiros globais, e levaram o Banco Central da China a adotar medidas de estímulo monetário e a polícia chinesa a interrogar suspeitos de alegadas operações ilegais na bolsa.

Ainda nos mercados asiáticos, a bolsa de Tóquio encerrou a sessão de hoje em baixa, com o principal índice, o Nikkei, a cair 724,79 pontos, ou 3,84%, cotando-se nos 18.165,69 pontos.

A marcar o comportamento dos mercados na Europa está também a incerteza dos investidores quanto à decisão da Fed, nos Estados Unidos, que poderá decidir aumentar as taxas de juro.

Entretanto, o preço do barril de petróleo Brent, para entrega em outubro, abriu hoje em baixa no Intercontinental Exchange Futures de Londres, a valer 52,73 dólares, menos 2,6% do que no fecho da sessão anterior.

Na segunda-feira, o preço do barril de petróleo Brent encerrou no mercado de futuros de Londres nos 54,15 dólares, um aumento de 4,15 dólares em relação ao fecho da sessão de sexta-feira.

O euro, por sua vez, estava a valorizar na abertura do mercado de divisas de Frankfurt ao transacionar-se a 1,1282 dólares, contra 1,1207 dólares a que se negociou nas últimas horas do dia anterior.

  • "A Minha Outra Pátria": o drama da Venezuela no Jornal da Noite
    2:12

    Reportagem Especial

    Quase cinco mil emigrantes regressaram à Madeira nos últimos meses por causa da crise económica, social e política na Venezuela. Os pedidos de ajuda ao Governo Regional dispararam. Muitos luso-venezuelanos voltaram às origens com pouco mais do que a roupa do corpo. "A Minha Outra Pátria", Reportagem Especial de hoje.

  • Milhares de clientes da CGD vão pagar quase 5€/ mês por comissões de conta
    1:24
  • Como fugir às comissões bancárias
    7:24

    Contas Poupança

    Há muitos casos em que ter uma conta no banco está a dar prejuízo. Os juros são tão baixos e as comissões de manutenção de conta são tão altas que há portugueses que todos os meses perdem dinheiro apenas porque têm dinheiro no banco. O Contas Poupança foi à procura de alternativas.

  • Governo reconhece seca severa no continente desde 30 de junho

    País

    O Governo reconheceu, hoje, a existência de uma situação de seca severa no território continental, desde 30 de junho, que consubstancia um fenómeno climático adverso, com repercussões negativas na atividade agrícola, em despacho publicado hoje em Diário da República.

  • Produtores de maçã de Armamar dizem não ter recebido resposta do Ministério
    2:14

    País

    Os produtores de maçã de Armamar estão preocupados. Parte da produção foi destruída pelo mau tempo. Contudo, duas semanas depois, ainda não há resposta do Ministério da Agricultura aos pedidos de ajuda. Mais de 60 produtores com 800 hectares foram afetados e as árvores atingidas pelo granizo podem não conseguir produzir no próximo ano.

  • Bebé Charlie Grad já não vai receber tratamento nos EUA

    Mundo

    A mãe de Charlie Grad disse esta segunda-feira que o bebé poderia ter vivido uma vida normal, caso tivesse começado a receber tratamento cedo. Já o pai admitiu que o filho não iria viver até ao primeiro aniversário. O bebé foi diagnosticado com uma doença rara e um hospital em Inglaterra pediu permissão para desligar a ventilação artificial e fornecer-lhe cuidados paliativos. O Tribunal Europeu dos Direitos Humanos aceitou e, até hoje, os pais travaram uma batalha na Justiça para suspender a decisão na esperança de irem tratar o filho nos Estados Unidos da América.

  • Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 31

    Mundo

    O número de mortos no atentado com um carro armadilhado atribuído aos talibãs, esta segunda-feira de manhã em Cabul, subiu para 31, aos quais se somam cerca de 40 feridos, de acordo com um novo balanço das autoridades.

  • Pelo menos cinco feridos em ataque na cidade suíça de Schaffhausen

    Mundo

    Pelo menos cinco pessoas ficaram hoje feridas na sequência de um ataque, na cidade suíça de Schaffhausen. De acordo com as autoridades, as vítimas foram atacadas por um homem armado com uma motosserra, que está a ser procurado pela polícia. As autoridades descartaram a hipótese de "ato terrorista".

  • Oposição pressiona Maduro com anúncio de manifestações e greve geral
    1:34