sicnot

Perfil

Economia

Incertezas na China penalizam bolsas europeias que seguem em queda

As bolsas europeias seguem hoje a negociar em terreno negativo, com os investidores centrados na situação da China e na incerteza em relação à reunião da Reserva Federal (Fed) de setembro.

(Reuters/Arquivo)

Pelas 08:20 [hora de Lisboa], o Euro Stoxx 50 cedia 1,42% para 3.223,22 pontos, com as principais praças europeias a oscilarem entre as perdas de 1,81% de Paris e de 0,72% de Milão.

As ações em Madrid recuavam 1,28% e em Frankfurt perdiam 1,67%, à mesma hora. A bolsa de Londres desvalorizava 0,94%.

Já em Lisboa, o índice PSI20 mantinha a tendência de abertura da sessão e seguia a perder 1,65% para 5.158,06 pontos.

Os dados negativos da indústria chinesa estarão a pesar sobre o sentimento dos investidores, reforçando os seus receios em relação à segunda economia mundial.

A bolsa de Xangai abriu hoje em baixa e mantinha as perdas e meio da sessão quando o seu índice geral cedia 1,06% (84,27 pontos), após cair mais de 4% durante a manhã.

Durante a manhã, e após se saber que o índice de produção industrial na China continuou a descer em agosto - para 47,3 pontos, pelo sexto mês consecutivo, acentuando o declínio na produção e novas encomendas feitas à segunda maior economia mundial - , o Índice Composite de Xangai chegou a cair 4%, tendo depois moderado as perdas.

As quedas acentuadas nas bolsas chinesas na semana passada provocaram um efeito "tsunami", que se estendeu aos mercados financeiros globais, e levaram o Banco Central da China a adotar medidas de estímulo monetário e a polícia chinesa a interrogar suspeitos de alegadas operações ilegais na bolsa.

Ainda nos mercados asiáticos, a bolsa de Tóquio encerrou a sessão de hoje em baixa, com o principal índice, o Nikkei, a cair 724,79 pontos, ou 3,84%, cotando-se nos 18.165,69 pontos.

A marcar o comportamento dos mercados na Europa está também a incerteza dos investidores quanto à decisão da Fed, nos Estados Unidos, que poderá decidir aumentar as taxas de juro.

Entretanto, o preço do barril de petróleo Brent, para entrega em outubro, abriu hoje em baixa no Intercontinental Exchange Futures de Londres, a valer 52,73 dólares, menos 2,6% do que no fecho da sessão anterior.

Na segunda-feira, o preço do barril de petróleo Brent encerrou no mercado de futuros de Londres nos 54,15 dólares, um aumento de 4,15 dólares em relação ao fecho da sessão de sexta-feira.

O euro, por sua vez, estava a valorizar na abertura do mercado de divisas de Frankfurt ao transacionar-se a 1,1282 dólares, contra 1,1207 dólares a que se negociou nas últimas horas do dia anterior.

  • Tudo isto circula na internet. Nada disto é verdade
    3:12
  • Peso dos salários na economia diminuiu
    2:34

    Economia

    Portugal é dos países onde o peso dos salários na economia mais diminuiu. Ou seja, os salários portugueses foram dos mais encolheram com a crise. A conclusão é da Organização Internacional do Trabalho que sublinha as implicações negativas ao nível social e económico.

  • Presidente do Montepio tranquiliza clientes do banco
    1:58

    Economia

    O presidente do Montepio garante que os clientes do banco podem estar seguros e reafirma que a instituição não tem qualquer exposição à Associação Mutualista. No programa da SIC Notícias Negócios da Semana, José Félix Morgado assumiu que é preciso separar ainda mais as duas instituições.

  • Inaugurado Ikea de Loulé
    3:51

    Economia

    Centenas de pessoas aguardavam à porta do Ikea de Loulé para a inauguração da nova loja no Algarve, uma semana depois do acidente que matou uma trabalhadora. A cerimónia decorreu de forma sóbria, ainda que com alguma pompa e circunstância.

  • Descoberta nova espécie de tiranossauro

    Mundo

    Uma nova espécie de dinossauros predadores, um tiranossauro com uma forma incomum de evolução, foi descoberta por uma equipa internacional de cientistas, segundo um artigo científico hoje publicado pela revista Nature.