sicnot

Perfil

Economia

Pilotos da Lufthansa prolongam greve para quarta-feira e incluem Germanwings

O sindicato alemão dos pilotos Cockpit, em conflito aberto com a direção do grupo Lufthansa há mais de um ano, anunciou hoje o prolongamento da greve para mais um dia, iniciando-se na terça-feira e terminando na quarta-feira.

© Ilya Naymushin / Reuters

A greve de terça-feira, que afetará os voos de longo curso e o transporte de mercadorias, é a 13.ª em 18 meses, e terá início pelas 06:00 (05:00 em Lisboa) e terminará pelas 22:00 locais (21:00 em Lisboa).

Na quarta-feira, o sindicato vai "apelar a todos os seus membros" para fazerem greve entre as 00:01 (23:01 em Lisboa) e as 23:59 (22:59), anunciou a direção do sindicato na internet, acrescentando que a greve inclui a companhia aérea de baixo custo d grupo alemão, a Germanwings, afetando também os voos de curto e médio curso voos.

Na base do conflito laboral entre o sindicato e a direção da companhia aérea alemã estão as condições do regime de pré-reforma.

Depois da queda de um avião da Germanwings, companhia do grupo Lufthansa, nos Alpes franceses, em março, o Vereinigung Cockpit suspendeu as greves e as negociações com a administração que levava a cabo nos meses anteriores.

Em comunicado, o sindicato avançou que tinha feito concessões significativas, mas sem, no entanto, encontrar uma solução comum com a gerência. O sindicato acusa a companhia alemã de querer "quebrar estruturas sociais" dentro do grupo e "enfraquecer a união."

Para lidar com a concorrência de companhias aéreas de baixo custo, a Lufthansa, além das empresas Germanwings, Swiss e Austrian Airlines, pôs em andamento uma grande reorganização com o objetivo de transferir as suas obrigações nacionais. Algumas pessoas na empresa viram nesta medida uma ameaça ao seu estatuto e remuneração.

Durante as greves anteriores, a Lufthansa, a principal companhia aérea do grupo europeu, conseguiu atenuar o impacto sobre os passageiros e evitar o caos colocando pilotos que ocupam outras posições dentro do grupo a voar e em estreita cooperação com a Deutsche Bahn, operador ferroviário.

Lusa

  • "Até para o ano", a mensagem de Ronaldo para os adeptos do Real Madrid
  • Despenalização da eutanásia votada na terça-feira no Parlamento
    2:04
  • Há companhias aéreas a contratar. TAP é uma delas
    1:28

    Economia

    Com o crescimento do turismo, que continua a bater recordes, as companhias aéreas querem profissionais para reforçar as rotas com maior procura e oferecer novos destinos. Só a TAP prevê contratar mais 700 pessoas este ano para várias funções, incluindo 300 tripulantes de cabine e 170 pilotos.

  • O bombeiro herói que recebe 267 euros de pensão
    2:36
  • Funcionários dos EUA na Coreia do Norte para preparar cimeira
    2:19