sicnot

Perfil

Economia

Frente Comum de Sindicatos da Função Pública quer aumentos de 4%

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública reivindicou hoje a reposição imediata dos salários e pensões e um aumento salarial de 4% para 2016, que garanta pelo menos um acréscimo de 50 euros a todos os trabalhadores.

© Dado Ruvic / Reuters

"Exigimos a reposição imediata de todos os salários, subsídios e pensões que nos foram tirados desde 2011, incluindo as prestações sociais e o descongelamento das progressões", disse a coordenadora da Frente Comum, Ana Avoila, à agência Lusa.

Ana Avoila defendeu ainda a atualização dos salários e pensões de forma a compensar "o brutal aumento do custo de vida e a perda do poder de compra" dos funcionários públicos desde 2011, o que passaria por um aumento de 4%, com um mínimo de 50 euros por trabalhadores.

As reivindicações apresentadas pela sindicalista integram um documento da Frente Comum com as "linhas gerais para a construção da proposta reivindicativa comum para 2016, que deverá ser aprovada em cimeira de sindicatos a 21 de outubro.

A coordenadora da Frente Comum explicou à Lusa que este ano o calendário sindical vai ser alterado devido à realização das eleições legislativas de 04 de outubro.

Normalmente, os sindicatos da função pública apresentam a sua proposta reivindicativa ao Governo em setembro, mês em que devem ser iniciadas as negociações dos aumentos salariais do ano seguinte.

Ana Avoila considerou que "não faria o menor sentido apresentar a proposta reivindicativa ao atual Governo".

A Frente Comum reivindica ainda o aumento do subsídio de refeição dos atuais 4,27 euros para os 6,50 euros e a atualização das restantes matérias pecuniárias em 4%.

A reposição do pagamento do trabalho extraordinário nos anteriores valores e do horário semanal de trabalho nas 35 horas são outras das exigências da estrutura sindical da CGTP.

Lusa

  • Rui Vitória não espera facilidades frente ao Tondela
    1:34

    Desporto

    O líder do campeonato, o Benfica, recebe este domingo o último classificado, o Tondela. Na conferência de antevisão do encontro, Rui Vitória afirmou que não espera facilidades. O treinador do Benfica falou ainda de Sebastian Coates.

  • O primeiro dia de Donald Trump na Casa Branca
    3:05
  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.