sicnot

Perfil

Economia

Frente Comum de Sindicatos da Função Pública quer aumentos de 4%

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública reivindicou hoje a reposição imediata dos salários e pensões e um aumento salarial de 4% para 2016, que garanta pelo menos um acréscimo de 50 euros a todos os trabalhadores.

© Dado Ruvic / Reuters

"Exigimos a reposição imediata de todos os salários, subsídios e pensões que nos foram tirados desde 2011, incluindo as prestações sociais e o descongelamento das progressões", disse a coordenadora da Frente Comum, Ana Avoila, à agência Lusa.

Ana Avoila defendeu ainda a atualização dos salários e pensões de forma a compensar "o brutal aumento do custo de vida e a perda do poder de compra" dos funcionários públicos desde 2011, o que passaria por um aumento de 4%, com um mínimo de 50 euros por trabalhadores.

As reivindicações apresentadas pela sindicalista integram um documento da Frente Comum com as "linhas gerais para a construção da proposta reivindicativa comum para 2016, que deverá ser aprovada em cimeira de sindicatos a 21 de outubro.

A coordenadora da Frente Comum explicou à Lusa que este ano o calendário sindical vai ser alterado devido à realização das eleições legislativas de 04 de outubro.

Normalmente, os sindicatos da função pública apresentam a sua proposta reivindicativa ao Governo em setembro, mês em que devem ser iniciadas as negociações dos aumentos salariais do ano seguinte.

Ana Avoila considerou que "não faria o menor sentido apresentar a proposta reivindicativa ao atual Governo".

A Frente Comum reivindica ainda o aumento do subsídio de refeição dos atuais 4,27 euros para os 6,50 euros e a atualização das restantes matérias pecuniárias em 4%.

A reposição do pagamento do trabalho extraordinário nos anteriores valores e do horário semanal de trabalho nas 35 horas são outras das exigências da estrutura sindical da CGTP.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47