sicnot

Perfil

Economia

Jerónimo de Sousa acusa últimos Governos pela falta de sardinha

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, responsabilizou hoje em Peniche os últimos governos PSD e PS pela falta de sardinha na costa portuguesa, depois de almoçar uma caldeirada em que faltou a sardinha.

Na sua intervenção, Jerónimo de Sousa afirmou que o "Estado da Nação é de um país mais endividado, com mais desemprego, com mais emigração, com mais pobreza e com mais injustiças", considerando que o executivo "governou contra os portugueses e contra o país, mas também contra as promessas que tinha feito".

Na sua intervenção, Jerónimo de Sousa afirmou que o "Estado da Nação é de um país mais endividado, com mais desemprego, com mais emigração, com mais pobreza e com mais injustiças", considerando que o executivo "governou contra os portugueses e contra o país, mas também contra as promessas que tinha feito".

Lusa

"Aconteceu alguma calamidade ou algum castigo divino para que hoje vejamos as nossas pescas a definhar e a indústria a desaparecer", questionou Jerónimo de Sousa, para logo responder que "não foi nenhuma calamidade nem nenhum castigo divino", mas antes "responsabilidade de governos sucessivos ao longo dos últimos anos".

Para o secretário-geral do PCP, a adesão à União Europeia veio "destruir o aparelho produtivo e as nossas pescas", em vez de ter trazido "paletes de dinheiro" ao país.

O líder comunista acusou o atual Governo e a ministra da Agricultura e do Mar de terem uma "posição de vassalagem" perante as instâncias internacionais na aceitação da quota de sardinha atribuída a Portugal.

Jerónimo de Sousa alertou para as "consequências sociais e económicas brutais" que a proibição da pesca da sardinha "pode ter" para o país.

Em Peniche, "a indústria conserveira precisa de 30 mil toneladas e sem matéria-prima vai ficar em grandes dificuldades", exemplificou.

Jerónimo de Sousa falava durante um almoço com pescadores e simpatizantes comunistas, em Peniche, depois de visitar o Edifício de Investigação da Escola Superior de Turismo e Tecnologias do Mar, pertencente ao Instituto Politécnico de Leiria, e os Estaleiros Navais de Peniche.

Lusa

  • Herança do Governo socialista debatida por Passos Coelho e António Costa
    2:06

    Novo Governo

    Um dos grandes temas do debate entre Passos Coelho e António Costa foi a herança do Governo socialista de José Sócrates. O líder da coligação PSD/CDS diz que o PS tem de assumir as responsabilidades por ter trazido a troika para Portugal. António Costa garante que a anterior governação socialista já foi julgada nas últimas eleições e chegou mesmo a dizer que Passos Coelho tem saudades de debater com o antigo primeiro-ministro.

  • Os custos do Novo Banco
    6:44

    Novo Governo

    O caso GES abalou o país. Mas, mais do que isso, comprometeu a vida de muitas pessoas. São essas pessoas que temos visto, ultimamente, em manifestações. São os "Lesados do BES" e este tópico era inevitável no debate de hoje entre Pedro Passos Coelho e António Costa, com vista as eleições do dia 4 de outubro. Que custos teve/tem o Novo Banco? Passos Coelho disse que "não haverá custos diretos para os contribuintes" e que a "solução para o problema dos lesados do BES só pode ser encontrada pelos reguladores". Costa chamou "passa-culpas" ao atual primeiro-ministro e acrescentou que "pagar a dívida é pegar no dinheiro e pê-lo lá e o senhor (Passos) não pagou a dívida".

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão