sicnot

Perfil

Economia

Ministros das Finanças europeus em reunião informal invulgarmente tranquila

Os ministros das Finanças europeus reúnem-se, entre hoje e sábado, no Luxemburgo, no tradicional encontro informal de "rentrée", desta feita com uma agenda pacífica, depois da turbulenta maratona de reuniões antes do verão devido à crise grega.

Arquivo

Arquivo

EPA

Alcançado o acordo sobre o terceiro programa de ajuda à Grécia, já em vigor, e à espera do desfecho das eleições naquele país agendadas para 20 de setembro próximo, a discussão dos ministros das Finanças da zona euro, no sábado, limitar-se-á por isso a um ponto da situação, sendo que não há muito a discutir já que o período pré-eleitoral não permite implementação legislativa.

Hoje, os ministros das Finanças, reunidos a 28 (no formato Ecofin, pois desta vez a reunião a 19, o Eurogrupo, terá lugar apenas no segundo dia de trabalhos) vão discutir, entre outros assuntos, o "plano Juncker" de investimento, com o qual Bruxelas pretende mobilizar, ainda a partir do ano em curso, 315 mil milhões de euros em investimentos públicos e privados, ao longo dos próximos três anos, para impulsionar a retoma da economia.

À margem dos encontros Ecofin e Eurogrupo, haverá lugar a uma reunião dos 11 países que se comprometeram a implementar um imposto sobre as transações financeiras, entre os quais Portugal, que tentarão acordar os detalhes técnicos do projeto, que tarda em ver a luz do dia.

Portugal estará representado nas reuniões pela ministra Maria Luís Albuquerque.

Lusa

  • Presidente da IPSS "O Sonho" garante que vai demitir-se
    0:57

    País

    A PJ de Setúbal fez esta sexta-feira buscas em três instituições de solidariedade social e em casas particulares ligadas à IPSS "O Sonho", por suspeitas de peculato de uso, fraude na obtenção de subsídios e falsificação de documentos. O presidente da associação nega as suspeitas e diz que está de "consciência tranquila". Florival Cardoso, que é o principal visado na investigação, fala sobre uma "caça às bruxas" e garante que vai demitir-se, porque considera que está a ser cometida uma "enorme injustiça".

  • "Situação humanitária dos civis em Ghouta é aterradora"
    0:49

    Mundo

    O enviado especial da ONU para a Síria lançou esta sexta-feira um novo apelo a um cessar-fogo. O responsável está particularmente preocupado com a situação da população civil e diz que é preciso evitar que se repita em Ghouta o que se passou em Alepo.

  • Instantes de uma noite de futebol europeu
    0:41
  • Não dá mais, Brasil!
    18:00