sicnot

Perfil

Economia

Carlos Tavares termina mandato na CMVM e novo governo escolhe mulher

O atual presidente da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Tavares, termina hoje o seu mandato e será substituído por uma mulher após a eleição de um novo governo, a sair das eleições legislativas de outubro.

O presidente da CMVM, Carlos Tavares (Arquivo)

O presidente da CMVM, Carlos Tavares (Arquivo)

Lusa

Esta nomeação para a presidência decorre da alteração da lei-quadro das entidades reguladoras, que estabelece que o presidente do conselho de administração de todas as entidades reguladoras, onde se inclui a CMVM, "deve garantir a alternância de género", bem como os restantes três vogais devem "assegurar a representação mínima de 33% de cada género".

Carlos Tavares, que esteve dois mandatos ou dez anos à frente do regulador do mercado de capitais, e a restante administração, com exceção da vice-presidente Gabriela Figueiredo Dias, termina hoje o seu mandato, mas continuará em funções até ser nomeado um novo conselho de administração pelo governo a sair das eleições de 4 de outubro, isto porque o atual executivo, liderado por Pedro Passos Coelho, está impedido por lei de realizar nomeações.

Gabriela Figueiredo Dias vai continuar por mais seis anos uma vez que foi nomeada em junho pelo Governo e iniciou funções a 1 de julho, ocupando o lugar deixado vago na administração da CMVM após a morte de Amadeu Ferreira, que faleceu em março depois de 23 anos no regulador.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51