sicnot

Perfil

Economia

Carlos Tavares termina mandato na CMVM e novo governo escolhe mulher

O atual presidente da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), Carlos Tavares, termina hoje o seu mandato e será substituído por uma mulher após a eleição de um novo governo, a sair das eleições legislativas de outubro.

O presidente da CMVM, Carlos Tavares (Arquivo)

O presidente da CMVM, Carlos Tavares (Arquivo)

Lusa

Esta nomeação para a presidência decorre da alteração da lei-quadro das entidades reguladoras, que estabelece que o presidente do conselho de administração de todas as entidades reguladoras, onde se inclui a CMVM, "deve garantir a alternância de género", bem como os restantes três vogais devem "assegurar a representação mínima de 33% de cada género".

Carlos Tavares, que esteve dois mandatos ou dez anos à frente do regulador do mercado de capitais, e a restante administração, com exceção da vice-presidente Gabriela Figueiredo Dias, termina hoje o seu mandato, mas continuará em funções até ser nomeado um novo conselho de administração pelo governo a sair das eleições de 4 de outubro, isto porque o atual executivo, liderado por Pedro Passos Coelho, está impedido por lei de realizar nomeações.

Gabriela Figueiredo Dias vai continuar por mais seis anos uma vez que foi nomeada em junho pelo Governo e iniciou funções a 1 de julho, ocupando o lugar deixado vago na administração da CMVM após a morte de Amadeu Ferreira, que faleceu em março depois de 23 anos no regulador.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.

  • Presidente do Brasil formalmente acusado de corrupção

    Mundo

    O Procurador-Geral da República do Brasil apresentou na noite de segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal uma denúncia contra o Presidente Michel Temer e o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) pelo crime de corrupção passiva.

  • Reconquista de Mossul ao Daesh pode estar para breve
    1:27
  • Homem fala ao telefone com o filho que pensava estar morto

    Mundo

    Um norte-americano que tinha estado presente no funeral do filho recebeu, 11 dias depois, uma chamada telefónica de um homem que o pôs em contacto... com o filho que havia enterrado semana e meia antes. Tudo por causa de um erro do gabinete de medicina legal.