sicnot

Perfil

Economia

Cristas quer ouvir setor leiteiro sobre destino a dar aos 4,8 M€

A ministra da Agricultura afirmou hoje que os 4,8 milhões de euros destinados a Portugal no âmbito dos apoios europeus ao setor do leite são "positivos" e quer ouvir os operadores sobre a melhor forma de os aplicar.

"Num momento de grande aperto como é este que os produtores de leite (...) estão a viver podermos ter 4,8 milhões de euros para os ajudar é certamente positivo", disse Assunção Cristas, a propósito do pacote de auxílio aos agricultores europeus hoje anunciado pela Comissão Europeia.

A ministra adiantou que quer "conversar com o setor" ainda esta semana "para decidir em conjunto" como podem ser distribuídos os 4,8 milhões de euros, tendo em conta a antecipação das ajudas ligadas ao leite, a isenção das contribuições para a Segurança Social por três meses ou a linha de crédito que constam doo plano de ação para apoio ao setor leiteiro que o Governo aprovou na semana passada.

Cristas salientou que os Estados-membros têm "alguma flexibilidade" para aplicar o dinheiro, admitindo que "o caminho mais expedito" para que estas verbas cheguem aos agricultores pode passar por um apoio direto ao rendimento, em simultâneo com o pagamento das ajudas diretas que vão poder ser antecipadas em 70% para outubro.

Outra medida que destacou foi a possibilidade de armazenagem privada para o leite [em pó desnatado] e para o porco, com 100% de apoio europeu.

Na prática, os produtores poderão receber ajudas para retirarem temporariamente produtos como o leite ou a manteiga do mercado até que os preços voltem a subir, um mecanismo que implicava até agora uma contrapartida por parte do produtor e que, neste momento, será comparticipado a 100% pela Comissão Europeia, explicou a responsável pela pasta da Agricultura.

Já a intervenção pública, uma medida defendida por Portugal e outros Estados-membros como França e Espanha, que não foi acolhida pela Comissão, pode ser reavaliada daqui a dois meses.

"É uma medida que tem um preço muito baixo, para não dizer zero, e que pode ter um impacto imediato no preço. A Comissão Europeia não foi sensível a essa medida até agora, mas Portugal pediu que daqui a dois meses, se não virmos que estas medidas estão a restabelecer o normal funcionamento do mercado, que volte a ser colocada em cima da mesa esta hipótese", adiantou a ministra.

Segundo Assunção Cristas, este mecanismo funciona de forma semelhante à armazenagem privada, mas neste caso é a Comissão Europeia que compra o produto para o retirar do mercado, esperando pelo aumento do preço para o revender.

Lusa

  • Explosão em restaurante no Canadá causa pelo menos 15 feridos, 3 graves
    0:56

    Mundo

    Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas numa explosão em Mississauga, Ontário, no Canadá. Três vítimas estão em estado grave. Os feridos foram levados para vários hospitais da zona. De acordo com as autoridades, a explosão foi causada por dois homens, com cerca de 20 anos, num restaurante indiano, que fugiram do local depois do ataque. A zona foi evacuada e a polícia está a investigar o caso.

    Em atualização

  • Congresso do PS começa hoje na Batalha

    País

    O 22.º Congresso do PS começa hoje, na Batalha, distrito de Leiria, e durante o qual o secretário-geral, António Costa, deverá defender uma linha de continuidade estratégica, procurando, em simultâneo, projetar desafios estruturais que se colocam ao país.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • Juiz impede acesso a informações bancárias e e-mails de António Mexia
    1:50

    País

    No inquérito crime que investiga a EDP, continua um braço de ferro entre o Ministério Público e o juiz de instrução. O magistrado voltou a negar o acesso a informações bancárias e a e-mails de António Mexia, que constavam dos processos da Operação Marquês e do universo Espírito Santo.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC