sicnot

Perfil

Economia

Portugal regista maior subida no emprego no 2º trimestre

Portugal registou o maior crescimento na taxa de emprego (1,3%) no segundo trimestre deste ano, face ao primeiro, tendo o indicador subido 0,3% na zona euro e 0,2% na União Europeia, revelou hoje o Eurostat.

© Rafael Marchante / Reuters

Segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE, na variação em cadeia, Portugal foi o país onde se verificou a maior subida da taxa de emprego entre abril e junho, face ao período entre janeiro e março deste ano, com um aumento de 1,3%, seguindo a Grécia (1,2%), da Irlanda e de Espanha (com 0,9% cada) e a Estónia (0,7%).

As maiores quebras, na comparação trimestral, foram registadas na Finlândia (-0,3%), Reino Unido (-0,2%), Bulgária e Lituânia (-0,1% cada).

Na comparação homóloga com o segundo trimestre de 2014, o emprego aumentou 0,8% na zona euro e 0,9% na União Europeia (UE), face ao mesmo período de 2014, segundo o gabinete oficial de estatísticas da UE.

A Irlanda (3,0%), Espanha (2,9%), Luxemburgo (2,5%) e Hungria (2,4%) foram os países que registaram maior crescimento homólogo, enquanto as únicas diminuições se verificaram na Roménia (-1,6%) e na Finlândia (-0,7%).

Em Portugal, o emprego cresceu 1,9% no segundo trimestre do ano, face ao mesmo período de 2014.

Lusa

  • Governo lança linha de crédito de 100 M€ para empresas situadas no interior

    País

    As políticas de valorização do interior, tema escolhido pelo primeiro-ministro, António Costa, abriram o debate quinzenal na Assembleia da República. O primeiro-ministro anunciou que o Governo vai lançar uma linha de crédito de 100 milhões de euros destinada exclusivamente a pequenas e microempresas empresas situadas no interior, a par da reprogramação do Portugal 20/20.

    Direto

  • Cachalote-pigmeu morreu pouco tempo depois de dar à costa em Lisboa
    1:13
  • PSD compara SNS a um "cenário de guerra", Centeno desdramatiza
    2:44

    Economia

    O ministro das Finanças esteve esta amanhã no Parlamento e voltou a não comprometer-se com aumentos salariais na função pública no próximo ano. Deu mesmo a entender que a medida não é prioritária. A discussão passou também pelo Serviço Nacional de Saúde. Centeno desdramatizou as carências mas o PSD comparou o que s passa a um cenário de guerra.