sicnot

Perfil

Economia

Produtores de leite dizem que ajuda atribuída a Portugal é "baixa"

O secretário-geral da Federação Nacional das Cooperativas de Produtores de Leite (Fenalac) afirmou que a ajuda de Bruxelas é "bem-vinda", mas lamentou o reduzido valor da verba atribuída a Portugal face a países como Espanha.

Lusa

"Qualquer ajuda neste momento é bem-vinda e é positiva, não queremos menorizar a ajuda que será concedida aos produtores de leite nacionais porque a situação é muito grave (...), mas o envelope nacional é muito baixo", disse Fernando Cardoso à Agência Lusa.

Portugal vai receber 4,8 milhões de euros de ajudas para apoiar o setor do leite e produtos lácteos, de um total de 420 milhões distribuídos por todos os Estados-membros, foi hoje divulgado em Bruxelas.

Nas contas da Fenalac, se este montante for dividido pelas cerca de 6 mil explorações existentes em Portugal, o valor da ajuda será de cerca de 800 euros por unidade produtiva, sendo que se o cálculo for feito em função do litro de leite produzido, o quantitativo será de 0,25 cêntimos por litro de leite, insuficiente, segundo Fernando Cardoso, para compensar a descida do preço do leite, que caiu de 33 para 28 cêntimos nos últimos doze meses.

"É uma relação muito desequilibrada", comentou.

O dirigente da Fenalac questionou ainda a discrepância do pacote de ajudas atribuídas a Portugal face a Espanha.

"Nós temos uma ajuda de 4,8 milhões de euros, enquanto o nosso concorrente mais próximo, que é a Espanha recebeu uma ajuda cinco vezes superior, embora só produza três vezes mais", frisou, apelando a que diferença seja compensada para não deixar Portugal em desvantagem face aos seus concorrentes.

Fernando Cardoso lançou ainda um alerta, face a "algumas pressões políticas para que haja algum tipo de discriminação regional", sublinhando que os montantes são demasiado reduzidos para que sejam introduzidos "critérios regionais ou políticos" que desvirtuem a distribuição das ajudas.

"A crise atingiu os produtores de todo o país de forma transversal", salientou.

Quanto às ajudas para a armazenagem privada de produtos lácteos, um mecanismo que está também incluído no pacote hoje anunciado pelo comissário europeu da Agricultura, Phil Hogan, Fernando Cardoso adiantou que a medida nunca foi solicitada pelos operadores nacionais, mas admitiu que pode "ser importante para aliviar alguma quantidade de produtos acabados no mercado europeu", tendo efeitos positivos, ainda que indiretos, para Portugal.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa. A Direção-Geral de Saúde vai divulgar ainda esta terça-feira as normas de orientação clínica para que os médicos possam lidar da melhor maneira com este surto.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Incêndio num estádio em Xangai destrói parte da bancada

    Mundo

    O Estádio Hongkou da equipa chinesa Shanghai Shenhua foi atingido esta terça-feira por um incêndio que acabou por danificar parte da bancada e algumas salas no interior da infraestrutura. Para o local, foi enviada uma equipa de bombeiros que conseguiu controlar as chamas.