sicnot

Perfil

Economia

Termina prazo para Altice vender Cabovisão e Oni

O prazo dado por Bruxelas ao grupo francês Altice para a venda da Cabovisão e da Oni termina hoje, após alguns pedidos de extensão apresentados pelo dono da PT Portugal, segundo um relatório da Altice.

MÁRIO CRUZ/LUSA

Na sexta-feira, o jornal Público noticiou que a empresa liderada por Patrick Drahi tinha até hoje, "terça-feira, 15 de setembro, para vender as duas operadoras ou transferi-las para uma entidade que lhes encontre comprador".

A informação consta de um relatório divulgado pela dona do MEO na semana passada que refere que "os ativos deveriam ser vendidos até ao final de agosto", mas explica que "o grupo recebeu uma extensão de duas semanas, até 15 de setembro para concluir a venda", imposta pela Comissão Europeia como remédio para a compra da PT Portugal.

O documento frisa ainda que "se os ativos não forem vendidos até essa data, terão de ser transferidos a uma entidade independente que assumirá o controlo dos dois ativos de forma a continuar o processo de venda".

Além da Vodafone, que desde o início foi dada como potencial candidata à compra da Cabovisão, a chinesa StarTimes, a britânica Interoute e o fundo de 'private equity' também britânico Apax Partners, também foram apontados como potenciais candidatos, mas entretanto alguns deles já desistiram.

De acordo com notícias divulgadas anteriormente, a Altice estima que os dois ativos valem em conjunto cerca de 115 milhões de euros.

Em agosto, o Diário Económico noticiava que nas contas semestrais, "o grupo francês fixou o valor contabilístico da Cabovisão em 17,9 milhões de euros" e adianta que esta estimativa ficava "contudo, muito abaixo do valor que a Altice espera encaixar com a venda", já que, "segundo a Bloomberg, o grupo de Patrick Drahi tem como objetivo encaixar cerca de 300 milhões de euros só com a Cabovisão, mas a operadora vale muito menos".

"Além do valor contabilístico inferior a 18 milhões de euros há ainda que contar com responsabilidades que chegam aos 51,3 milhões. Feitas as contas, o passivo da Cabovisão é de 33,4 milhões de euros, valor que terá de ser tido em conta pelos potenciais compradores", refere a notícia.

Já a Oni tem o valor contabilístico fixado em 97,1 milhões de euros, mas responsabilidades de 48 milhões de euros, pelo que segundo o Económico, "feitas as contas, o valor da Oni é de 49,1 milhões de euros".

A Altice comprou a Cabovisão por 45 milhões de euros em 2011 e a Oni por cerca de 80 milhões de euros em 2012.

Lusa

  • "Sinto-me como quem leva uma sova monumental"
    0:30
  • Temperaturas vão subir até 4ª feira

    País

    As temperaturas vão subir até esta quarta-feira, prevendo-se máximas entre os 22 e os 29 graus na generalidade do território, valores acima do normal para a época do ano, adiantou hoje a meteorologista Maria João Frada.

  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Equipa responsável por renovação da Proteção Civil ainda não é conhecida
    2:45

    País

    A constituição da unidade de missão que deverá entrar esta segunda-feira em funções para concretizar a reforma dos sistemas de prevenção e combate a incêndios ainda não é conhecida. A equipa de trabalho anunciada por António Costa será responsável por pôr de pé o novo sistema de Proteção Civil, aprovado no Conselho de Ministros extraordinário de sábado.

  • "Quero unir o PSD depois de o clarificar"
    1:17
  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31
  • Antigos presidentes dos EUA angariam 26 milhões para vítimas dos furacões
    0:58

    Mundo

    Os cinco antigos presidentes dos Estados Unidos da América ainda vivos juntaram-se para ajudar as vítimas dos furacões. Bill Clinton e Barack Obama lembraram as vítimas dos furacões e elogiaram o espírito solidário dos norte-americanos. Os antigos presidentes norte-americanos lançaram o apelo no início do mês passado e já conseguiram angariar cerca de 26 milhões de euros.