sicnot

Perfil

Economia

HP prevê dispensar até 30.000 trabalhadores para reduzir gastos

O grupo tecnológico HP anunciou hoje a intenção de dispensar até 30.000 empregados com o objetivo de reduzir gastos de cerca de 2.700 milhões de dólares (cerca de 2.389 milhões de euros).

PAUL SAKUMA

O anúncio da tecnológica com sede em San José, Califórnia (Estados Unidos), foi feito em comunicado, depois de uma reunião dos diretores da HP com analistas de mercado, onde foram avançados detalhes da estratégia do grupo e atualizadas as perspetivas financeiras.

O grupo tecnológico tem vindo a fazer uma reestruturação desde o ano passado, altura em que anunciou a intenção de dispensar cerca de 50.000 trabalhadores, aos quais se soma a diminuição entre 25.000 e 30.000 empregos anunciados hoje.

Há quase um ano, a 06 de outubro, a HP informou que se iria dividir em duas empresas: a HP Inc, que assume as funções relativas aos computadores pessoais e impressoras, e a Hewlett Packard Enterprise, que fica com os serviços informáticos para empresas.

O mercado espera que esta divisão esteja concluída em novembro deste ano.

A Hewlett Packard Enterprise será cotada em bolsa, com o símbolo HPE.

"A Hewlett Packard Enterprise será mais pequena e mais focada no que a HP é hoje em dia", afirmou a presidente e conselheira-delegada do grupo HP, Meg Whitman.

Está previsto que Whitman fique à frente da divisão de serviços para as empresas, enquanto Dion Weisler ficará a liderar o negócio de computadores pessoais, portáteis e impressoras.

A HP adianta que a divisão de serviços empresariais irá gerar receitas anuais de 50.000 milhões de dólares (44.241 milhões de euros, à taxa de câmbio atual).

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras