sicnot

Perfil

Economia

FMI disponível para trabalhar com qualquer que seja o novo governo grego

O Fundo Monetário Internacional (FMI) mostrou-se hoje disponível para trabalhar com o novo governo grego, seja qual for o resultado das eleições legislativas de domingo, mas recusou esclarecer se vai participar no terceiro plano de resgate ao país.

O Banco da Grécia não pediu um aumento desta linha de liquidez, segundo fonte próxima dos bancos centrais da Zona Euro. (Arquivo)

O Banco da Grécia não pediu um aumento desta linha de liquidez, segundo fonte próxima dos bancos centrais da Zona Euro. (Arquivo)

© Yiannis Kourtoglou / Reuters

"Trabalhámos com o governo interino e iremos trabalhar com o governo, qualquer que seja o resultado [do escrutínio] deste fim de semana", declarou o porta-voz do FMI Gerry Rice, numa conferência de imprensa.

A três dias das eleições, o partido da Nova Democracia está praticamente empatado com o Syriza, o partido anti-austeridade que atribuiu ao FMI uma responsabilidade "criminal" pela crise económica da Grécia.

"Devemos respeitar o que se vai passar este fim de semana e as prerrogativas do governo grego e a sua vontade", acrescentou o porta-voz do FMI que participou em dois planos de ajuda financeira à Grécia de 2010.

Gerry Rice escusou-se contudo a esclarecer quando é que o FMI vai decidir se participa, ou não, no terceiro resgate, no valor de 86 milhões de euros, que a União Europeia aprovou no dia 14 de agosto.

A instituição, que deveria anunciar a sua intenção em outubro, exige reformas políticas a Atenas e aguarda, ao mesmo tempo, medidas para aliviar a dívida grega, que os líderes europeus estão relutantes em aceitar.

"A nossa posição não se alterou", disse Rice na quarta-feira, recusando indicar qualquer data para a decisão do Fundo.

Lusa

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.