sicnot

Perfil

Economia

FMI disponível para trabalhar com qualquer que seja o novo governo grego

O Fundo Monetário Internacional (FMI) mostrou-se hoje disponível para trabalhar com o novo governo grego, seja qual for o resultado das eleições legislativas de domingo, mas recusou esclarecer se vai participar no terceiro plano de resgate ao país.

O Banco da Grécia não pediu um aumento desta linha de liquidez, segundo fonte próxima dos bancos centrais da Zona Euro. (Arquivo)

O Banco da Grécia não pediu um aumento desta linha de liquidez, segundo fonte próxima dos bancos centrais da Zona Euro. (Arquivo)

© Yiannis Kourtoglou / Reuters

"Trabalhámos com o governo interino e iremos trabalhar com o governo, qualquer que seja o resultado [do escrutínio] deste fim de semana", declarou o porta-voz do FMI Gerry Rice, numa conferência de imprensa.

A três dias das eleições, o partido da Nova Democracia está praticamente empatado com o Syriza, o partido anti-austeridade que atribuiu ao FMI uma responsabilidade "criminal" pela crise económica da Grécia.

"Devemos respeitar o que se vai passar este fim de semana e as prerrogativas do governo grego e a sua vontade", acrescentou o porta-voz do FMI que participou em dois planos de ajuda financeira à Grécia de 2010.

Gerry Rice escusou-se contudo a esclarecer quando é que o FMI vai decidir se participa, ou não, no terceiro resgate, no valor de 86 milhões de euros, que a União Europeia aprovou no dia 14 de agosto.

A instituição, que deveria anunciar a sua intenção em outubro, exige reformas políticas a Atenas e aguarda, ao mesmo tempo, medidas para aliviar a dívida grega, que os líderes europeus estão relutantes em aceitar.

"A nossa posição não se alterou", disse Rice na quarta-feira, recusando indicar qualquer data para a decisão do Fundo.

Lusa

  • Estacionamento às portas de Lisboa por 50 cêntimos/dia
    1:55

    País

    Lisboa vai ter novos parques de estacionamento, em zonas periféricas. O estacionamento vai custar 50 cêntimos por dia para condutores que tenham um título de transporte público válido.  A EMEL quer evitar a entrada de tantos carros no centro da cidade.