sicnot

Perfil

Economia

FMI disponível para trabalhar com qualquer que seja o novo governo grego

O Fundo Monetário Internacional (FMI) mostrou-se hoje disponível para trabalhar com o novo governo grego, seja qual for o resultado das eleições legislativas de domingo, mas recusou esclarecer se vai participar no terceiro plano de resgate ao país.

O Banco da Grécia não pediu um aumento desta linha de liquidez, segundo fonte próxima dos bancos centrais da Zona Euro. (Arquivo)

O Banco da Grécia não pediu um aumento desta linha de liquidez, segundo fonte próxima dos bancos centrais da Zona Euro. (Arquivo)

© Yiannis Kourtoglou / Reuters

"Trabalhámos com o governo interino e iremos trabalhar com o governo, qualquer que seja o resultado [do escrutínio] deste fim de semana", declarou o porta-voz do FMI Gerry Rice, numa conferência de imprensa.

A três dias das eleições, o partido da Nova Democracia está praticamente empatado com o Syriza, o partido anti-austeridade que atribuiu ao FMI uma responsabilidade "criminal" pela crise económica da Grécia.

"Devemos respeitar o que se vai passar este fim de semana e as prerrogativas do governo grego e a sua vontade", acrescentou o porta-voz do FMI que participou em dois planos de ajuda financeira à Grécia de 2010.

Gerry Rice escusou-se contudo a esclarecer quando é que o FMI vai decidir se participa, ou não, no terceiro resgate, no valor de 86 milhões de euros, que a União Europeia aprovou no dia 14 de agosto.

A instituição, que deveria anunciar a sua intenção em outubro, exige reformas políticas a Atenas e aguarda, ao mesmo tempo, medidas para aliviar a dívida grega, que os líderes europeus estão relutantes em aceitar.

"A nossa posição não se alterou", disse Rice na quarta-feira, recusando indicar qualquer data para a decisão do Fundo.

Lusa

  • Peritos mundiais debatem doenças neurodegenerativas em Lisboa
    3:04

    País

    Especialistas de mais de 20 países na área das doenças neurodegenerativas estão reunidos esta semana na Fundação Champalimaud, em Lisboa. A cimeira, realizada em parceria com a Fundação Rainha Sofia, de Espanha, é dedicada aos progressos na investigação e nos cuidados de saúde em doenças como o Alzheimer. As demências efetam 50 milhões de pessoas em todo o mundo, número que deverá triplicar em 2050.

  • "O Benfica é atacado e não há ninguém que fale e que dê a cara?"
    6:05
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    Depois do artigo publicado no blog "Geração Benfica", Rui Gomes da Silva reiterou esta segunda-feira, em O Dia Seguinte da SIC Notícias, algumas das críticas à estrutura do clube. O antigo vice-presidente do Benfica defendeu Luís Filipe Vieira, Rui Vitória e Nuno Gomes. E acusou novamente Rui Costa de passividade e os vice-presidentes de não darem a cara. 

  • Governo aconselha pais a fazerem queixa de manuais em mau estado
    2:31